Red Hat começa a cortar “centenas de empregos”

A Red Hat tem cerca de 2.200 funcionários baseados em sua sede no centro de Raleigh e cerca de 19.000 em todo o mundo.

Claylson Martins
5 minutos de leitura

As demissões de tecnologia chegaram agora à Red Hat. De acordo com a imprensa especializada, são “centenas de empregos” sendo cortados. Esta rodada inicial de demissões acaba de ser anunciada. Vários meios de comunicação locais da Carolina do Norte, onde a Red Hat está sediada, anunciaram as novas demissões que começaram já na manhã de segunda-feira. 

Como WRAL colocando em “centenas de empregos” sendo cortados.

De acordo com WRAL, diz-se que o CEO da Red Hat, Matt Hicks, disse aos funcionários em um e-mail “não reduziremos as funções de venda direta aos clientes ou construção de nossos produtos”, o que é uma boa notícia para seus muitos desenvolvedores Linux upstream que eles empregam que, em última análise, constroem Red Hat Enterprise Linux e produtos de software associados.

A Red Hat começará a notificar os funcionários afetados hoje em alguns países, enquanto o processo continuará até o final do trimestre. A IBM, que adquiriu a Red Hat em 2019, já cortou cerca de cinco mil posições até agora em 2023.

Red Hat começa a cortar “centenas de empregos”

A Red Hat tem cerca de 2.200 funcionários baseados em sua sede no centro de Raleigh e cerca de 19.000 em todo o mundo.

A gigante do software é de propriedade da IBM, que recentemente anunciou a demissão de cerca de 3.900 funcionários, mas esse número subiu para 5.000, de acordo com o presidente e CEO Arvind Krishna. Ele também observou que nos últimos meses a IBM contratou cerca de 7.000 pessoas. O spin-off da IBM, Kyndryl, também fez demissões recentemente.

A Red Hat é a segunda grande empresa de tecnologia a cortar empregos na semana passada, sendo a outra a Lenovo. Quantos trabalhadores perderam seus empregos não ficou claro.

As demissões também ocorrem quando a tarefa de encontrar um emprego relacionado à tecnologia da informação está se tornando mais difícil na Carolina do Norte, com vagas anunciadas em baixas recordes no último relatório de tendências de empregos em TI da NC Tech Association. As demissões no setor de tecnologia também atingiram a Cisco e o Google. A Apple é uma das poucas empresas a não fazer demissões entre os trabalhadores de tecnologia.

Pandemia e os cortes

As reduções no número de funcionários ocorreram em parte como resultado da recuperação econômica da pandemia de COVID e da menor necessidade de serviços como o Zoom para videoconferência. As empresas de tecnologia também aumentaram a ponto de ter excesso de pessoal e agora estão corrigindo, de acordo com o economista da Carolina do Norte, Dr. Mike Walden. Walden também vê outras mudanças, conforme exemplificado na carta do CEO da Red Hat.

“Muitas empresas têm lidado com as atitudes emergentes dos trabalhadores – principalmente dos jovens – sobre o equilíbrio entre vida profissional e pessoal. À medida que a economia se expandia rapidamente após a pandemia e surgiu uma escassez de mão de obra, as empresas acomodaram as novas atitudes para atrair trabalhadores”, disse Walden ao WRAL. 

“Agora que a escassez de mão de obra diminuiu – na verdade, como muitas empresas dispensaram trabalhadores – as empresas não precisam mais ser tão complacentes. Além disso, com as previsões de receita reduzidas, as empresas estão procurando maneiras de obter maior eficiência. Muitas vezes, isso requer mais regras e supervisão. A questão é: assim que superarmos o atual desafio econômico e voltarmos ao crescimento substancial em algum momento de 2024, o recuo na acomodação dos trabalhadores terminará ou continuará?

Os cortes de empregos também seguem de perto as notícias que a IBM informou na semana passada de que as receitas trimestrais da Red Hat aumentaram 8%. No entanto, isso foi muito abaixo das performances recentes. “A Red Hat teve uma média de crescimento de receita de pelo menos 15%, a cada trimestre desde que a IBM a comprou em 2019”, observou o site de notícias financeiras Seeking Alpha.

Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.