in

Reino Unido vai extraditar Julian Assange para os EUA

O fundador do Wikileaks enfrenta 18 acusações de divulgação de material secreto.

Reino Unido vai extraditar Julian Assange para os EUA
GettyImages

O Reino Unido assinou a ordem de extradição de Julian Assange para os EUA. O governo do Reino Unido confirmou a disposição de iniciar o processo de extradição para os Estados Unidos do co-fundador do Wikileaks, Julian Assange, 47, que atualmente está na prisão de Belmarsh, em Londres. Portanto, o Reino Unido vai extraditar Julian Assange para os EUA.

Assange é onde ele tem que estar: aprisionado. Há um pedido de extradição dos Estados Unidos até a decisão dos tribunais, mas eu já assinei o mandado de extradição e o certificado, para que amanhã [hoje] ele seja apresentado aos tribunais, disse a BBC o Ministro britânico do Interior, Sajid Javid.

As acusações

Reino Unido vai extraditar Julian Assange para os EUA
Imagem: AFP

Apesar de ter feito um trabalho jornalístico, Assange é acusado de vazar dados confidenciais em relação ao governo norte-americano. Ele nega as acusações e diz que apenas publicou o material que tinha em mãos. Assim, ele estava refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012. Assange também foi acusado de estupro na Suécia porém este caso foi arquivado. As autoridades suecas tinham exigido a rendição do fugitivo, acusado de vários crimes de estupro e agressão sexual contra duas mulheres que ajudaram um ato do Wikileaks em Estocolmo dois anos antes.

Washington acusa Assange de vários crimes contra a Segurança Nacional. Em colaboração com o ex-soldado Chelsea Manning, ela obteve e publicou documentos confidenciais sobre a intervenção militar dos Estados Unidos e seus aliados no Iraque e no Afeganistão.

O atual governo do Equador decidiu romper os laços com o fugitivo da justiça e entregou-o às autoridades britânicas em abril passado. Eles o acusaram de ter abusado de sua hospitalidade e realizado atividades ilegais e interferência nos assuntos internos de outros países desde sua prisão.

Reações contrárias à decisão do Reino Unido extraditar Julian Assange para os EUA

Nils Melzer, Relator Especial para a Tortura da ONU, se manifestou contra a entrega de Assange às autoridades norte-americanas. Ele denunciou que Assange “corria sério risco de graves violações de seus direitos humanos”. Os mesmos argumentos foram usados pelos advogados do réu.

O governo sueco decidiu reativar as acusações contra Assange. No entanto, um tribunal naquele país determinou que não era necessário prosseguir com a prisão. Então, assim interrompeu alguns procedimentos de extradição que estavam prestes a ser executados. Desta forma, o pedido do executivo dos EUA adquiriu prevalência.

Via

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Falha no Vim permite invasão do Linux

Falha no Vim permite invasão do Linux

Chrome 76 permite modo escuro e dificulta uso do Flash

Chrome 76 permite modo escuro e dificulta uso do Flash