Serviço de autorreparo da Apple oferece ferramenta de diagnóstico remoto para o iPhone 15

Apple está expandindo serviço de autorreparo para mais pa[ises

Jardeson Márcio
3 minutos de leitura

A Apple executa um programa de autorreparo que permite aos entusiastas consertar seus próprios iPhones. Existem algumas peculiaridades no programa, como a insistência da Apple em enviar uma mala retornável cheia de equipamentos de reparo para o processo, mas ainda é um passo decente em direção ao direito de consertar. Agora, esse serviço de autorreparo da Apple oferece ferramenta de diagnóstico remoto para o iPhone 15, o que é excelente.

Serviço de autorreparo da Apple é expandido

O serviço de autorreparo da Apple continua sendo expandido, desta vez incluindo os novos Macs e Macbooks da série iPhone 15 e da linha M2. Além disso, o programa está sendo estendido para mais países europeus, permitindo que mais entusiastas tenham acesso à possibilidade de consertar seus próprios dispositivos. Outra novidade é a disponibilização da ferramenta Apple Diagnostics nos Estados Unidos, facilitando ainda mais o processo de diagnóstico remoto. Essas medidas são um passo importante para garantir maior autonomia e liberdade aos usuários da Apple.

servico-de-autorreparo-da-apple-iphone-15

O serviço de autorreparo da Apple se expande para a série iPhone 15

A Apple anunciou que está expandindo o reparo de autoatendimento para incluir estes dispositivos: série iPhone 15; MacBook Pro de 14 e 16 polegadas com alimentação da linha M2; MacBook Air de 15 polegadas com linha M2; Mac mini com tecnologia M2; Mac Pro com tecnologia da linha M2; Mac Studio com tecnologia M2.

O programa está a expandir-se para mais 24 países europeus, alcançando a Croácia, Dinamarca, Grécia, Países Baixos, Portugal e Suíça.

Serviço já disponível nos EUA

Os provedores de serviços autorizados da Apple usam uma ferramenta de diagnóstico remoto para avaliar a saúde e o reparo necessário em peças dos dispositivos. A empresa está fornecendo acesso à ferramenta de diagnóstico remoto para usuários nos EUA e expandirá para a Europa no próximo ano.

Essa ferramenta é como um médico realizando exames detalhados em um paciente, identificando problemas específicos e determinando se é necessário substituir alguma parte do corpo. Além disso, ela verifica se algum tratamento já realizado foi bem-sucedido.

O conjunto de testes inclui os seguintes testes:

  • Mobile Resource Inspector: verifica a versão do software do dispositivo e a presença de vários componentes de hardware;
  • Exibir anomalias de pixel;
  • Multitoque;
  • Qualidade de imagem da câmera;
  • ID facial;
  • Saída de áudio.

Assim como um programa beta não é compatível com todos os modelos de iPhone, a ferramenta também não suporta iPhones executando iOS beta. É necessário ter um segundo dispositivo, como um iPhone, Mac ou PC, para executar a ferramenta. O iPhone que será testado precisa estar conectado ao Wi-Fi, enquanto o dispositivo secundário precisa ter conexão com a internet.

Share This Article
Follow:
Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.