in

Tribunal francês decide que a Steam deve permitir usuários revender seus jogos

Eles também criticam a Valve para manter o saldo da conta ao fechá-la.

Tribunal francês decide que a Steam deve permitir usuários revender seus jogos
Imagem: CodeWeavers

Hoje estamos em uma situação muito diferente, e os jogos físicos estão tendo cada vez menos presença. Um tribunal francês quer permitir usuários revender seus jogos digitais, e é por isso que decidiu que os usuários do Steam deveriam ter a possibilidade de fazê-lo.

Os amantes de videogame que têm uma certa idade lembram-se de um tempo passado em que poderíamos comprar um jogo e no final da revenda. Dessa forma, você pode recuperar algum dinheiro e a outra pessoa pode acessar a mesma experiência a um preço mais baixo.

Eles também criticam a Valve para manter o saldo da conta ao fechá-la

Tribunal francês decide que a Steam deve permitir usuários revender seus jogos
Imagem: Deniszizen / DeviantArt

O UFC Que Choisir, uma associação francesa que trabalha pelos direitos do consumidor, acusa a Valve de violar os direitos de seus usuários há anos, com cláusulas que estabelecem que os clientes não possuem os jogos digitais que compraram.

Essa decisão também acusa a Valve de manter o saldo de uma conta Steam, se o usuário decidir fechá-la. Enquanto isso, a Valve é protegida, garantindo que o que eles vendem sejam assinaturas e não licenças de jogos.

Eles acreditam que, como a Valve ainda não possui concorrência (séria) nesse mercado, isso cria um cenário injusto para os consumidores. De qualquer forma, a empresa tem a possibilidade de recorrer dessa sentença, então, no momento, tudo está no ar.

O mais interessante desse caso é que ele nos faz pensar muitas coisas sobre o estado atual do mercado de videogames. No passado, os fabricantes de videogames viam (com uma expressão ruim) como os usuários podiam comprar e revender os títulos que adquirimos.

Como um meio físico, você corria o risco de danificar o disco, não ter garantia ou danificar a caixa e a arte. Isso fez com que o produto perdesse valor e fosse vendido a um preço mais baixo.

Ao contrário dos jogos físicos, os jogos digitais não podem se deteriorar

Como seria revender um produto digital? Nesse caso, o produto não pode se deteriorar. Além disso, com o passar do tempo, os jogos digitais estão caindo de preço; portanto, se pudessem ser vendidos, teriam que se adaptar ao preço do momento.

Também nos faz pensar se a revenda poderia incluir todos os DLCs ou o conteúdo que você comprou no jogo. Estamos diante de um caso muito interessante que pode marcar um antes e um depois na história dos videogames.

Portanto, será necessário acompanhar de perto o caso francês e verificar se essa situação – de permitir usuários revender seus jogos digitais – se estende a mais países.

Fonte: Genbeta

Escrito por Fabiano Rodrigues

Usuário de Linux desde o Kurumin; servidor público, tecnólogo em análise e desenvolvimento de sistemas, amante de software livre e de código aberto; apaixonado por jogos, louco por rock e heavy metal, filmes e seriados.

AMD envia lote inicial de correções para o Linux 5.4

AMD envia lote inicial de correções para o Linux 5.4

EXT4 traz novos Ioctls de depuração para Linux 5.4

EXT4 traz novos Ioctls de depuração para Linux 5.4