in

Veja como o Google manteve bilhões de aplicativos maliciosos fora do seu smartphone no ano passado

O Google Play Protect verifica mais de 100 bilhões de aplicativos todos os dias.

Veja como o Google manteve bilhões de aplicativos maliciosos fora do seu smartphone no ano passado
Imagem: Reprodução | Android Authority.

A Google Play Store abriga bilhões de aplicativos e jogos de desenvolvedores em todo o mundo. Todavia, não importa quantas medidas de segurança o Google aplique, alguns aplicativos maliciosos continuam sendo executados e os usuários ainda podem fazer o download de aplicativos prejudiciais de fontes de terceiros.

Para combater isso, o Google continuou a desenvolver ferramentas, recursos e políticas que impedem que aplicativos e desenvolvedores tirem proveito dos usuários do Android. Agora, o Google revelou exatamente como o fez ao longo de 2019 e quais são seus planos para o futuro.

Google manteve bilhões de aplicativos maliciosos fora do seu smartphone

O Google recentemente fez um esforço para reprimir as permissões de aplicativos, impedindo que os desenvolvedores obtenham acesso a partes desnecessárias de seus dispositivos. Há pouco mais de um ano, lançou uma nova política para impedir que muitos aplicativos acessem SMS e dados de log de chamadas quando não precisam.

Por esse motivo, o Google viu uma diminuição de 98% nos aplicativos acessando essas permissões. Os 2% restantes são aplicativos que exigem acesso a essas informações para sua funcionalidade principal. O foco recente da empresa em proteger crianças e suas famílias também levou o Google a tomar muitas outras medidas para incentivar os desenvolvedores a atualizar ou remover dezenas de milhares de aplicativos que violam essas novas políticas de proteção ao usuário.

Muitos dos esforços do Google foram feitos para manter aplicativos maliciosos longe dos usuários. Para fazer isso, a empresa melhorou significativamente seu processo de verificação em 2019, que impediu que quase 800.000 aplicativos maliciosos entrassem na Play Store.

Para impedir que os aplicativos que chegam à Play Store tirem proveito dos usuários, a empresa reformulou o Google Play Protect (sua ferramenta interna de proteção contra malware). O Google Play Protect verifica mais de 100 bilhões de aplicativos todos os dias para fornecer aos usuários informações sobre possíveis problemas de segurança. Além disso, ele sugere ações que os usuários podem executar para manter seus dispositivos seguros.

Essa ferramenta ainda protege os usuários de aplicativos baixados de fontes de terceiros. Em 2019, o Play Protect impediu que os usuários instalassem 1,9 bilhão de aplicativos maliciosos de fontes não pertencentes ao Google Play. São números enormes e são provas dos esforços do Google nesse setor.

Outras medidas de proteção

Além disso, o Google anunciou recentemente sua iniciativa App Defense Alliance, que deve continuar a otimizar esse processo. Trabalhar com outros grandes nomes do setor de segurança cibernética, como ESET, Lookout e Zimperium, deve ajudar o software de detecção de malware do Google a ficar mais inteligente e eficiente à medida que avançamos em 2020 e além.

Veja como o Google manteve bilhões de aplicativos maliciosos fora do seu smartphone no ano passado
Imagem: Reprodução | Android Authority.

 

Embora o Google e a equipe da Play Store tenham mostrado um crescimento substancial na luta contra aplicativos e desenvolvedores maliciosos, ainda há trabalho a ser feito. Dessa maneira, o Google não planeja reinventar a roda. Em vez disso, deseja continuar desenvolvendo os progressos realizados nos últimos anos.

No futuro, a empresa espera fortalecer suas políticas de proteção ao usuário, melhorar seu processo de detecção e remoção de aplicativos prejudiciais, detectar desenvolvedores mal-intencionados mais cedo e impedir que eles desenvolvam comportamentos repetidos.

Recentemente, o Google disse em um post de blog:

Embora tenhamos orgulho do que conseguimos em parceria com a nossa comunidade de desenvolvedores, sabemos que há mais trabalho a ser feito. Os maus atores continuarão a criar novas maneiras de fugir dos nossos sistemas de detecção e colocar os usuários em perigo para seu próprio ganho. Portanto, nosso compromisso em construir a plataforma de aplicativos mais segura e útil do mundo continuará em 2020.

Por fim, vamos ver se o Google consegue cumprir esse compromisso neste ano e continuar avançando na proteção dos usuários do Android contra aplicativos maliciosos na Play Store e de fontes de terceiros.

Fonte: Android Authority