in

A batalha entre o open source falso e o verdadeiro continua!

Você não leu errado, empresa discutem se é hora de mudar para uma nova modalidade envolvendo o código fonte aberto! Eis que surge uma divisão no mundo do código aberto!

a-batalha-entre-o-open-source-falso-e-o-verdadeiro-continua

A situação inicial é que a Redis esta sendo usada em larga escola pela Amazon. A Redis, é Redis é uma estrutura de dados do servidor. É de código aberto (open source), em rede, na memória, e armazena chaves com durabilidade opcional.

A Amazon não tem retribuído os grandes lucros em torno da Redis. A discussão começou no dia 19 de fevereiro, quando a Redis Labs, sede da Redis, a famosa loja de estrutura de dados, anunciou que arrecadou cerca de US $60 milhões em novos financiamentos. No entanto, Ofer Bengal, CEO da Redis Labs, disse em uma entrevista a Ars Technica que esse aumento nas arrecadações, é fruto de uma cláusula “open source”.

No entanto, essa nova cláusula não é regulamentada, e não faz parte sequer das discussões atuais da OSI, é na verdade, algo particular da Redis, e a empresa quer que esta nova cláusula seja implementada em todos os softwares distribuídos sob licenciamento de código aberto, como Firefox, LibreOffice e etc.

A comunidade agora entende que o conceito original de código aberto precisa ser corrigido porque não é mais adequado para a era moderna, onde as empresas de nuvem usam seu poder de monopólio para adotar qualquer projeto de código aberto (open source) sem contribuir com nada, disse Bengal.

Repercussão

Minutos depois, Chris Aniszcyk, CTO da Cloud Computing Foundation, disse que não! Diante disso, Aniszcyk, comentou que as grandes empresas do nicho de cloud, são os maiores contribuintes para o código aberto (open source), citou o Google e a Microsoft.

O co-fundador da Apache Software Foundation, disse no twitter, que qualquer um que veja a situação atual como algo que o código aberto (open source) não teve que contornar por mais de duas décadas é indiferente ou desonesto. Ele passou a salientar, que os desenvolvedores do servidor web Apache, por exemplo, sempre estiveram satisfeitos em serem usados ??por empresas comerciais como “free riders”. Isso porque, ao fazer isso, garantiria um campo aberto e justo para todos os usuários da web.

Para quem não conhece, o termo “free riders”, quer dizer aquele em que um ou mais agentes econômicos acabam usufruindo de um determinado benefício proveniente de um bem, sem que tenha havido uma contribuição para a obtenção de tal.

Rich Bowen, um militante do código aberto (open source) da Red Hat, perguntou se a Redis está “sem noção”. Destacou que, a muitas pessoas entrando para o mundo do código aberto atualmente, e que os problemas levantados pela Redis são novos, e não podem serem comparados aos que existiam em 1994.

Mas o que aconteceu?

Em grande parte, a problemática envolve a AWS ElastiCache que fornece serviços Redis, sem que o Redis receba um percentual da receita. E assim, Redis vem combatendo isso inserindo novos módulos no código sob cláusula comum.

O capitalista de risco Salil Deshan, disse que a Amazon usa muito Redis e o retorno é muito pouco, afinal eles vendem o serviço AWS ElastiCache como algo deles, e na verdade é apenas um serviço proveniente de algo distribuído como código aberto (open source), no entanto, quem desenvolve a solução recebe migalhas.

A gente sabe que isso não é ilegal, mas ao mesmo tempo, se as empresas adotarem este modelo da Amazon, de fazer fortunas em cima de softwares de código aberto (open source), e no fim não ajudar os projetos a ficarem de pé, isso é algo errado e que merece ser combatido, do contrário, será quase impossível as comunidades de código aberto serem sustentáveis.

No fim, a Redis quer uma clausula que interrompa estes abusos em torno do uso do código aberto. Anteriormente, em resposta a esse tipo de iniciativa, a Open Source Initiative (OSI) reafirmou seu compromisso com a Definição de Código Aberto. O OSI, apoiado por numerosos parceiros como o Debian, Mozilla e The Document Foundation, disse:

Sem esta singularidade, a definição padrão de ‘open source’, o desenvolvimento de software como o conhecemos não seria possível. Não há confiança em um mundo onde qualquer um pode inventar sua própria definição de código aberto, e sem confiança não há comunidade, colaboração e inovação.

Common Clause e similares “minarão a integridade do código aberto, e se não forem corrigidos, irão corroer a confiança tanto dos usuários quanto dos contribuintes de software livre, disse Italo Vignoli, um dos líderes do The Document Foundation, mantenedora do LibreOffice

Por hora, não sabemos se a Redis vai criar algum novo licenciamento. O que sabemos, que ele não poderá ser chamado de código aberto (open source), ou seria tido como o open source falso.

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

Google oferece novas ferramentas para desenvolvedores do Android ganharem dinheiro

Google oferece novas ferramentas para desenvolvedores do Android ganharem dinheiro

Mídias sociais ficam estagnadas e cresce consumo de podcasts

Mídias sociais ficam estagnadas e cresce consumo de podcasts