suse-storage-brasil-thomas

Nos últimos anos, o armazenamento definido por software ganhou forte impulso no mercado, em resultado principalmente do crescimento da virtualização de servidores. O storage definido por software está se tornando rapidamente uma realidade em companhias de todo o mundo. Isso foi o que revelou um estudo internacional encomendado pela Suse, provedora de soluções de infraestrutura de código aberto corporativo. O levantamento mostrou que 95% das empresas pesquisadas expressaram interesse na abordagem de armazenamento flexível.

Para comentar o tema, Thomas Di Giacomo, CTO da SUSE e autoridade máxima em tecnologia da empresa, estará no Brasil para anunciar oficialmente a oferta da companhia para Software Defined Infrastructure (Infraestrutura definida por software), grande aposta da SUSE para endereçar os desafios relacionados à transformação digital.

Thomas atua desde 2016 nesta posição e vem contribuindo com a rápida inovação e crescimento do portfólio da SUSE, além do reconhecido e aprovado sistema operacional Linux Corporativo. No Brasil, o executivo abordará pontos relevantes sobre a pesquisa durante visitas à clientes e parceiros estratégicos.

Dentre alguns pontos relevantes da pesquisa está o interesse pelo armazenamento definido por software que também se estende ao mundo open source. O estudo revelou que 75% das empresas considerariam uma abordagem de código aberto para sua infraestrutura de armazenamento e 42% já estão considerando open source para atender as suas necessidades de armazenamento.

O estudo foi conduzido pela Loudhouse, instituto de pesquisa independente baseado em Londres, e abrangeu uma ampla variedade de segmentos de mercado, além de ouvir 1.200 profissionais decisores de TI em 11 países.

Para obter mais informações sobre o SUSE Storage, visite www.suse.com/storage.

Linux Mint 18.2 foi lançado! Faça o download

Previous article

Desenvolvedor Ubuntu conta as dificuldades de transição do Unity para o GNOME

Next article

You may also like

More in Notícias