in

Canonical formula estratégia de suporte de 32 bits para Ubuntu 20.04 LTS

Depois de toda a polêmica criada em junho com a notícia sobre o fim do suporte a 32 bits.

Canonical formula estratégia de suporte de 32 bits para o Ubuntu 20.04 LTS
Os engenheiros da Canonical, em cooperação com os membros da comunidade, revelaram os ajustes de suporte de 32 bits para o lançamento do Ubuntu 20.04 LTS. Assim, a Canonical formula uma estratégia de suporte de 32 bits para o Ubuntu 20.04 LTS.

Depois de abandonar sua proposta original de limpar completamente os pacotes de 32 bits, o Ubuntu 19.10 foi enviado com um conjunto reduzido de pacotes de 32 bits (x86 de 32 bits) disponível para usuários do x86_64. Esses pacotes de 32 bits no Ubuntu 19.10 foram baseados na popularidade dos pacotes de 32 bits ainda hoje em uso predominante nos modernos sistemas Intel e AMD. Para o Ubuntu 20.04 LTS, estão sendo feitos alguns pequenos ajustes.

Canonical formula estratégia de suporte de 32 bits para Ubuntu 20.04 LTS

Canonical formula estratégia de suporte de 32 bits para o Ubuntu 20.04 LTS
O post lista algumas das adições e remoções planejadas para o Ubuntu 20.04 LTS. Como libssl1.0, wine-stable-i386, gcc-8-base e outros pacotes estão sendo descartados devido a fatores como terem se tornado obsoletos ou outros. Enquanto isso, pacotes adicionais foram adicionados para a segmentação de 32 bits, incluindo drivers Freeglut, libv4l, VDPAU, drivers VA-API e várias outras bibliotecas.

O desenvolvedor de longa data do Ubuntu, Steve Langasek, destacou que cerca de 1.700 pacotes de fontes acionarão compilações no i386 no Launchpad para Ubuntu Focal (20.04). Em breve, haverá outras alterações de construção e infraestrutura, bem como melhorias em sua infraestrutura de teste automático de pacotes.

Para encurtar a história, o suporte ao pacote Ubuntu 20.04 LTS 32 bits será bastante semelhante ao do Ubuntu 19.10 com o Steam e outros pacotes importantes que ainda não fazem parte de um x86_64 puro ainda estarão acessíveis.

Entenda o caso

Em junho deste ano, o Ubuntu confirmou planos de abandonar todo o suporte para sistemas de 32 bits (i386). A mudança, segundo o comunicado,seria a partir da chegada do Ubuntu 19.10.

Com a decisão, a distro deixaria de construir, empacotar ou distribuir software, biblioteca ou ferramenta de 32 bits em versões mais recentes do Ubuntu. Depois de muitas reclamações, a Canonical reverteu a decisão.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.