Categorias

o-android-13-tem-codinome-interno-vazado-a-aposta-agora-e-a-sobremesa-tiramisu

Android

Games

Notícias

Tutoriais Linux

Vídeos

Notícias

20/07/2021 às 07:00

7 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

China é acusada de contratar cibercriminosos para ataques aos Estados Unidos e Europa via Microsoft Exchange

Membros da OTAN, a União Europeia, Austrália, Nova Zelândia e Japão vão convocar e enfrentar a ameaça representada pelos ataques cibernéticos patrocinados pelo Estado chinês.

China é acusada de contratar cibercriminosos para ataques aos Estados Unidos e Europa via Microsoft Exchange

Uma grande ofensiva contra a China foi anunciada pelos Estados Unidos com apoio da OTAN e outros países como Austrália, Nova Zelândia e Japão contra um suposto ataque massivo promovido pelos chineses contra empresas e governos ocidentais.

Em sua primeira ação na segunda-feira, os países culparão publicamente o Ministério de Segurança do Estado da China por um ataque cibernético massivo aos servidores de e-mail Microsoft Exchange no início deste ano.

O ataque foi realizado por hackers criminosos que trabalham para o MSS e também praticam extorsão, criptojacking e ransomware cibernéticos, disse o oficial.

O grupo vai compartilhar inteligência sobre ameaças cibernéticas e colaborar nas defesas e segurança da rede, disse um alto funcionário do governo Biden que pediu anonimato para discutir um esforço de segurança nacional.

Também na segunda-feira, o FBI, a Agência de Segurança Nacional e a Agência de Segurança Cibernética e de Infraestrutura divulgaram um novo comunicado listando 50 táticas, técnicas e procedimentos que os hackers patrocinados pelo Estado chinês empregam.

China é acusada de contratar cibercriminosos para ataques aos Estados Unidos e Europa via Microsoft Exchange

China é acusada de contratar cibercriminosos para ataques aos Estados Unidos e Europa via Microsoft Exchange

O ataque ao servidor Microsoft Exchange tornou-se público em março e acredita-se que tenha atingido pelo menos 30.000 organizações americanas e centenas de milhares em todo o mundo.

A Microsoft identificou rapidamente o grupo por trás do hack como uma rede de espionagem chinesa relativamente desconhecida, apelidada de Hafnium. Até agora, os Estados Unidos pararam de culpar publicamente Pequim pelo ataque.

O atraso na acusação da China foi em parte para dar aos investigadores tempo para reunir as evidências para provar que os hackers do Hafnium estavam na folha de pagamento do Estado chinês, disse o oficial.

Também foi importante para os Estados Unidos agirem em conjunto com seus aliados ao fazer a atribuição pública, disse o funcionário.

Em um momento em que a guerra cibernética está se tornando a linha de frente em uma luta de poder global entre democracias e estados autocráticos, a nova aliança de segurança cibernética pode se tornar um modelo para esforços futuros para enfrentar ameaças transnacionais.

China nega acusações ocidentais e se opõe a ataques cibernéticos “em todas as suas formas”

Apesar das acusações, enquadradas no que o governo Biden descreveu como um “padrão de comportamento irresponsável no ciberespaço”, a condenação das ações do regime asiático não foi acompanhada de sanções contra o regime de Pequim (ao contrário do que aconteceu em abril, quando uma acusação semelhante foi lançada contra os russos).

A Associated Press cita fontes do Ministério das Relações Exteriores do governo chinês que afirmam que a China “se opõe veementemente a ataques cibernéticos e roubos cibernéticos em todas as suas formas”, enquanto alerta que a atribuição de ataques cibernéticos deve ser baseada em evidências e não em “acusações infundadas”.

Com informações de Associated Press, CNBC e Genbeta

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.