in

Comissão quer forçar Telegram a revelar gastos com criptomoedas

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) alega que a OIC foi uma venda de títulos não registrada. Valor teria chegado a quase 2 bilhões de dólares.

Comissão quer forçar Telegram a revelar gastos com criptomoedas

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) entrou com uma ordem judicial contra a empresa Telegram. O objetivo é obrigar o Telegram a explicar como foram gastos os fundos gerados a partir de uma Oferta Inicial de Moedas (OIC). No processo, a SEC diz que o pedido de informações é essencial como parte de uma reclamação em andamento em relação à OIC, que levantou mais de US $ 1,7 bilhão de investidores.Portanto, a comissão quer avaliar os gastos do Telegram com criptomoedas.

De acordo com a SEC, o provedor de aplicativos de serviços de mensagens criptografadas até agora se recusou a fornecer qualquer informação financeira, incluindo como o dinheiro foi gasto nos últimos dois anos.

Comissão quer forçar Telegram a revelar gastos com criptomoedas

O autor se move respeitosamente para obrigar os Réus a responder perguntas e fornecer documentos sobre os valores, fontes e uso de recursos captados por investidores em conexão com a venda não registrada de valores mobiliários em questão neste caso, diz o documento.

O órgão fiscalizador financeiro dos EUA alega que a OIC, lançada em janeiro de 2018 para o desenvolvimento do projeto Telegram Open Network (TON), era uma oferta de token não registrada. As ICOs geralmente são meios legítimos para projetos baseados em blockchain para aumentar o capital dos investidores. No entanto, à medida que essas vendas de token se tornaram populares, o mesmo aconteceu com vendas ilegais e golpes.

É guerra?

Em outubro, a SEC obteve uma ordem de restrição temporária contra o Telegram após alegar que a venda de tokens GRAM do Telegram não estava registrada e, portanto, violou a Lei de Valores Mobiliários dos EUA. No total, aproximadamente 2,9 bilhões de GRAMs foram vendidos para investidores em todo o mundo.

Os reguladores alegam que o Telegram não apenas falhou no registro, como também não forneceu informações transparentes aos investidores sobre “operações comerciais, condição financeira, fatores de risco e administração exigidos pelas leis de valores mobiliários”.

Telegram nega acusações

Comissão quer forçar Telegram a revelar gastos com criptomoedas

O Telegram nega que os tokens sejam valores mobiliários.

Em um comunicado recente, a SEC diz que os registros de despesas da OIC são “altamente relevantes” para o processo judicial”. Isso inclui quanto dinheiro o Telegram gastou e de que maneira no desenvolvimento do TON Blockchain, o aplicativo Telegram Messenger a ser integrado ao TON Blockchain e aplicativos relacionados. Assim, a Comissão quer forçar o Telegram a revelar gastos com criptomoedas.

A TON deveria entrar em operação em outubro de 2019. Contudo, a reclamação da SEC levou o Telegram a adiar a data para abril de 2020. 

A SEC está buscando liminares permanentes contra o Telegram, desembolso financeiro e multas civis.

Fonte: ZDNet

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Vídeo da Instalação do Arch Linux

Assista ao vídeo da instalação do Arch Linux

Lançada distribuição KaOS 2020.01

Lançada distribuição KaOS 2020.01