in

Instale o Rambox no Linux e tenha todos os serviços web favoritos em um só lugar

Conheça o Rambox, uma alternativa ao Franz. Tenha todos os serviços em um só lugar

Um Rambox é um aplicativo que reúne vários serviços de comunicação da WEB como: mensageiros e e-mails, em apenas um. Gratuito e de código aberto, surgiu como um concorrente de peso do Franz, uma aplicativo pioneiro porém com proposta parecida.

É multiplataforma, estando disponível para os principais sistemas do mercado: Linux, Mac OS e Windows. Logo abaixo será exibida uma definição do site oficial para a ferramenta. Nesta dica, saiba como instalar o Rambox no Linux e tenha todos os serviços web favoritos em um só lugar.

O Rambox oferece a possibilidade de adicionar serviços comuns que muitas vezes você precisa, tudo em um só lugar. É perfeito para pessoas que trabalham com muitos serviços e contas privadas

Nota: Você terá duas opções de instalação do Rambox no Linux, a primeira utilizando o popular AppImage, e caso queira, também pode instalar utilizando o pacote fonte, ambos pacotes são empacotados de distribuídos pela equipe do Rambox.

Como instalar o Rambox no Linux utilizando o AppImage

Para instalar o Rambox no Linux utilizando o pacote AppImage, vamos precisar do Terminal. Abra o Terminal de sua distribuição e execute os comandos abaixo. Perceba que este método de instalação funciona em qualquer distribuição Linux:

Para Rambox de 64 bits, baixe:

cd ~/Downloads
wget https://github.com/ramboxapp/community-edition/releases/download/0.6.6/Rambox-0.6.6-linux-x86_64.AppImage -O Rambox.AppImage

Para Rambox de 32 bits, baixe:

cd ~/Downloads
wget https://github.com/ramboxapp/community-edition/releases/download/0.6.6/Rambox-0.6.6-linux-i386.AppImage -O Rambox.AppImage

Agora, independente da versão que você baixou, os próximos comandos são os mesmos. Vamos executar o comando para dar permissão de execução:

chmod +x Rambox.AppImage

Agora, vamos executar o Rambox:

./Rambox.AppImage

Em seguida você verá uma nova janela com o instalador do Rambox, basta seguir o processo e a aplicação estará instalada.

Ao clicar no Sim, o processo de instalação do Rambox será iniciado e ele será aberto quase que instantaneamente, veja algumas imagens abaixo:

Como instalar o Rambox no Linux via código fonte

Ao clicar no botão verde você será redirecionado para a página oficial do Rambox, baixe o arquivo ZIP para o Linux. Perceba que este pacote esta disponível apenas para sistemas 64 bits:

chmod +x Rambox
wget https://github.com/ramboxapp/community-edition/releases/download/0.6.6/Rambox-0.6.6-linux-x64.zip -O Rambox-linux-x64.zip
unzip Rambox-linux-x64.zip
cd Rambox-linux-x64
Feito isso descompacte o arquivo baixado. Certifique-se de que todos os arquivos  foram extraídos, caso seja necessário renomeie a pasta chamando-a de Rambox, por exemplo.

Abra o Terminal no diretório que foi extraído e digite:

sudo chmod +x rambox

Finalmente, no mesmo terminal execute o próximo comando para executar a ferramenta:

./rambox
Caso não veja o ícone do aplicativo corretamente no painel do sistema, provavelmente esteja faltando uma biblioteca. Portanto execute o comando a seguir para corrigir caso esteja usando Debian, Ubuntu ou derivados. O nome do pacote é o mesmo, então basta executar o comando de instalação utilizando o gerenciador de pacote de sua distribuição:
sudo apt install libappindicator1.

Dentre as funcionalidades do Rambox, se destacam:

  • Opção de adicionar Password.
  • Opção de Mudo.
  • Suporte a Proxy.
  • Notificações de Não Lido/Novo e-mail nas abas.
  • arrastar, editar e apagar as abas dos serviços para reorganiza-las.
  • Sincronismo em mais de um computador.

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

krita-uma-alternativa-ao-photoshop-saiba-como-instalar-no-ubuntu

Krita uma alternativa ao Photoshop, saiba como instalar no Ubuntu

É-preciso-desfragmentar-o-Linux

É preciso desfragmentar o Linux ?