in

Como utilizar o Git no Github

Esse é o terceiro episódio de tutoriais sobre Git.

O novo "Laboratório de Segurança" do GitHub ajudará os desenvolvedores a corrigir bugs em projetos de código aberto
O GitHub é usado por mais de 40 milhões de desenvolvedores e atualmente hospeda mais de 100 milhões de repositórios. Crédito da imagem: GitHub.

Nesse tutorial vou explicar como utilizar o Git no Github com o projeto feito no tutorial anterior. Esse é o terceiro episódio de tutoriais sobre git. Então, antes de mais nada, vou começar programando um pouco antes de enviarmos nossso projeto para o Github.

Como utilizar o Git no Github

$ git checkout dev
$ git checkout -b quote dev

Script compilar e executar aplicação.

Criar um script shell para compilar e executar o arquivo, vai nos poupar um pouco de tempo depois.

$ nano kompila.sh

Inserir o código a seguir:

#!/bin/bash
rm javaFile.jar
echo "Compilando"
echo "----------"
kotlinc $1 -include-runtime -d javaFile.jar
echo "Executando"
echo "----------"
java -jar javaFile.jar

ctrl+x e S ou Y para sair e salvar.

Transformando em executável.

$ chmod +x kompila

Para testar se nosso script está funcionando.

$ ./kompila media_alunos.kt

Adicionando o sript ao git.

$ git add kompila.sh
$ git commit -m “Adicionando script para compilar e executar”

Como utilizar o Github para criar um repositório

Nesta parte vamos fazer o upload para nosso repositório no github, e começaremos a programar e enviar as nossas atualizações.

Crie sua conta no Github.

Siga os passos para criar um repositório.

"Como

Como utilizar o Git no Github.
Criando repositório no github.

Como utilizar o Github para adicionar repositório no git.

$ git checkout master

Adicionando o endereço do repositório.

$ git remote add origin https://github.com/rodrigo-leutz-sempreupdate/media-alunos.git

Utilizar o Github para enviar nosso branch master para o repositório

Ele vai pedir o seu e-mail e senha do registro toda vez que você der push.

$ git push -u origin master

Agora, podemos entrar no endereço para ver nosso repositório.

https://github.com/rodrigo-leutz-sempreupdate/media-alunos

Podemos ver que só tem o nosso branch master no repositório.

Como utilizar o github.
Somente o branch master.

Vamos utilizar o Github para enviar a nossa versão instável para o repositório também.

Mudando para o branch dev.

$ git checkout dev

Enviando o branch dev para o repositório.

$ git push --set-upstream origin dev

Agora se dermos reload na página podemos ver que foi enviado o branch dev para o repositório.

Como utilizar o github
Branch dev.

Geralmente o branch quote não é enviado para o repositório. Portanto, ele é um branch local apenas, porque é onde estamos programando no momento. Assim, somente é enviado quando se torna uma versão instável.

Voltando a programar

Agora vamos programar um pouco e mudar nosso código para formar mais uma versão instável.

$ git checkout quote
$ nano media_alunos.kt

Vamos deixar o código como o seguinte.

fun main(){ 

        var aluno: Aluno = readAluno()
        showMedia(aluno) 

}
private fun readAluno(): Aluno {
        println("Digite o nome do aluno:")
        val nome = readLine()
        println("Digite a nota 1:") 
        val n1 = readNota()
        println("Digite a nota 2:") 
        val n2 = readNota()
        println("Digite a nota 4:")
        val n3 = readNota()
        println("Digite a nota 4:")
        val n4 = readNota()
        return Aluno(nome,n1,n2,n3,n4)
}
private fun showMedia(aluno: Aluno) {
        val media = (aluno.n1+aluno.n2+aluno.n3+aluno.n4)/4
        println("\nNome: "+aluno.nome)
        println("Média: $media")
}
private fun readNota(): Double {
        var nota = readLine()
        try{
                nota = nota!!.replace(",",".")
                val y = nota.toDouble()
                if(y > 10.0) {
                                println("Nota maior que 10, valor = 10.")
                                return 10.0
                }
                else if(y < 0.0) {
                                println("Nota menor que 0, valor = 0.")
                                return 0.0
                }
                else {
                                return y
                }
        } catch(e: NumberFormatException){
                println("Não foi digitado um número válido, valor = 0.")
                return 0.0
        }
}
data class Aluno(
        var nome: String?,
        var n1: Double = 0.0,
        var n2: Double = 0.0,
        var n3: Double = 0.0,
        var n4: Double = 0.0
)

ctrl+x e S ou Y para sair e salvar.

Agora vamos fazer mais um commit

$ git add media_alunos.kt
$ git commit -m “Criando data class e deixando em funções”

Agora vamos a nossa ultima mudança desse tutorial.

$ nano media_alunos.kt

Vamos mudar apenas o início do arquivo para ficar da seguinte forma.

fun main(){ 
        clearscreen()

        var aluno: Aluno = readAluno()
        showMedia(aluno) 

}
private fun clearscreen(){
        print("\u001b[H\u001b[2J")
}

ctrl+x e S ou Y para sair e salvar.

$ git add media_alunos.kt
$ git commit -m “Adicionada função de clearscreen”

Vamos testar nosso programa.

$ ./kompila.sh media_alunos.kt

Como utilizar o Github para enviar atualização

Agora vamos enviar nossa atualização para o servidor

$ git checkout dev
$ git merge quote

Enviando atualização para o servidor no branch dev.

$ git push

Para clonar esse repositório.

$ git clone https://github.com/rodrigo-leutz-sempreupdate/media-alunos

Para atualizar um repositório clonado

$ git pull

Assim terminamos esse tutorial. No próximo, vamos continuar a fazer este mesmo projeto. Além disso, vamos utilizar o Github para enviar as atualizações e criar uma versão estável.

<- Como utilizar o git com programação.

Escrito por Rodrigo Leutz

Usuário do Linux a mais de 20 anos.
Desenvolvedor Web e Android ( Kotlin e Java ).
Membro da equipe de suporte do sempreupdate.

GOOGLE | Palácio de Versalhes: um passeio inédito pelas obras e arquitetura do ícone francês

GOOGLE | Palácio de Versalhes: um passeio inédito pelas obras e arquitetura do ícone francês

XFCE diz adeus ao suporte GTK2

XFCE diz adeus ao suporte GTK2