Cuidado: Papai Noel pode ser um ciberespião! 5 dicas para proteger seu dispositivo IoT contra ataques cibernéticos

Os dispositivos IoT oferecem muitos benefícios, e são objetos de desejo no Natal, mas possuem um sistema de segurança fraco que os torna uma tecnologia altamente vulnerável e alvos para ciberameaças.

Claylson Martins
5 minutos de leitura

No mundo digital de hoje, o espírito natalino se manifesta da forma mais conectada possível. Desde a chegada dos dispositivos IoT na vida dos usuários digitais, não são apenas os consumidores que têm interesse por essas tecnologias, mas também os cibercriminosos. Segundo projeção do Gartner no Brasil, a instalação de dispositivos conectados no país aumenta anualmente a uma taxa de 13,5%. Além disso, a consultoria IDC prevê que até 2025 haverá 41,6 bilhões de dispositivos IoT conectados.

Check Point Software destaca os grandes benefícios da IoT: interconectividade conveniente, acessibilidade para todos em qualquer lugar e profunda inovação tecnológica. No entanto, os especialistas apontam que os dispositivos IoT também podem representar um risco ao usuário, pois neles são depositadas informações pessoais e os dispositivos são interligados com outros através da rede, tornando a privacidade do usuário muito mais vulnerável.

Durante o Natal, temos visto um aumento na utilização desses dispositivos IoT, seja para a decoração das casas como para presentes: luzes de enfeites natalinos que se acendem a partir do nosso smartphone, aquecimento ou refrigeração residencial que se ajusta às nossas necessidades, árvores inteligentes, arquivos conectados, tecnologias vestíveis como relógios que rastreiam frequência cardíaca e saúde, alarmes e sistemas de segurança de automação residencial e uma variedade de outros dispositivos.

Cuidado: Papai Noel pode ser um ciberespião! 5 dicas para proteger seu dispositivo IoT contra ataques cibernéticos

Nesse sentido, é fundamental que os usuários se certifiquem de que todos os presentes tecnológicos tragam apenas felicidade e não introduzam intrusos em suas casas. Envolver os dispositivos em camadas de segurança é a chave para manter o espírito natalino conectado, positivo e seguro.

Para isto, os especialistas da Check Point Software listam as principais medidas que darão aos usuários uma proteção mais forte:

1. Use senhas fortes: É cada vez mais comum o Papai Noel incluir dispositivos inteligentes em sua sacola de presentes, todos com senhas padrão que são facilmente exploráveis por cibercriminosos. Para melhorar a segurança, altere o nome de usuário e a senha padrão e substitua-os por outros mais complexos. O uso de autenticação de múltiplos fatores (MFA) é recomendado para melhorar a segurança. Evite reutilizar e repetir senhas entre dispositivos.

2. Instalar firewalls e atualizar dispositivos: Os presentes recebidos ficarão em nossas casas e quanto mais dispositivos forem conectados à rede, mais vulnerabilidades os atacantes poderão encontrar para obter acesso à residência de um usuário. Para evitar isso, será essencial que esses dispositivos IoT tenham firewalls para protegê-los e para bloquear qualquer informação armazenada neles. Além disso, o software desses dispositivos terá de ser atualizado regularmente para evitar que os cibercriminosos explorem vulnerabilidades conhecidas.

3. Use uma VPN sempre que possível: Outra medida importante para manter os dispositivos IoT seguros é usar sempre uma conexão segura. A VPN (ou Rede Privada Virtual) é uma tecnologia mais segura que fornece aos usuários privacidade e segurança online, criptografando os dados transmitidos entre o dispositivo e o servidor.

4. Habilitar mecanismo de notificação de eventos suspeitos: O sistema pode detectar e alertar sobre padrões incomuns de comportamento. Isso evita ataques e permite uma resposta mais rápida aos ciberataques.

5. Elimine dispositivos IoT não utilizados: Com os novos dispositivos IoT recém presenteados e conectados à rede, é necessário revisar quais outros dispositivos são usados diariamente e identificar aqueles que estão obsoletos. Se houver um dispositivo que não esteja sendo utilizado, atualizado ou monitorado, mas ainda esteja próximo de outros dispositivos, ele poderá representar um risco, pois ainda está conectado aos demais. É aconselhável desconectá-lo da rede para reduzir a chance de acesso do cibercriminoso.

“A Check Point Software identificou o risco que a utilização de dispositivos IoT pode representar para os usuários, uma vez que oferecem sistemas de segurança muito fracos. Para manter um nível adequado de segurança em sua casa, é essencial que os consumidores estejam conscientes dos riscos que estes dispositivos IoT representam no seu dia a dia e, sobretudo, para que adquiram os conhecimentos necessários para proteção. Dessa maneira, evitarão ao máximo qualquer incursão na sua privacidade. Quanto maior o número de dispositivos, maior deve ser o nível de proteção, se quisermos estar protegidos contra ataques cibernéticos”, orienta Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança da Check Point Software.

Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.