in

Desenvolvimento multiplataforma – Parte 1 – Introdução ao Cordova

Introdução ao Cordova

desenvolvimento-multiplataforma-cordova-parte-1

Antigamente os programadores não tinham muita dificuldade em criar códigos que atendessem às necessidades do cliente – basicamente escreviam o código em C ou C++, compilavam para Windows e pronto. Raramente havia exceções que obrigavam o programador a ter mais de um código.

Atualmente já não é mais assim.. O Windows estatisticamente (segundo a W3C) continua sendo a plataforma desktop mais utilizada no mundo, mas com a popularização dos dispositivos móveis e aumento significativo no uso de outros sistemas operacionais, faz dele um entre muitos dos diferentes sistemas operacionais utilizados hoje: baseados em Linux (como Android, Ubuntu e Fedora), OS X, Windows, iOS, Firefox OS, Tizen, Jolla.. Enfim, já não é tão simples atender a consumidores de diferentes nichos com a compilação de apenas um código.

Algumas linguagens se popularizam em cada OS: compila-se para Windows usando C, C++, C#, Java para Android, Swift para iOS/OS X, etc. Mas e se com apenas uma linguagem e um código fosse possível compilar para várias plataformas? Essa é a proposta do Cordova, software desenvolvido pela Apache.

Já ouviu falar em HTML? Há pouco tempo sua quinta versão passou a ser recomendada pela W3C. Diferente de outras linguagens como Python e Java, que necessitam da instalação prévia de seu runtime na máquina onde será executada a aplicação, o HTML é suportado em praticamente qualquer dispositivo, sem dependências de software próprio ou de terceiros instalados, como é o caso do Java ou do C#.

Segundo o site oficial:
Apache Cordova é uma plataforma para construção de aplicações móveis nativas usando HTML, CSS e JavaScript” – cordova.apache.org

A ideia é codificar apenas em HTML, CSS e JavaScript, (e seus frameworks e API’s), compilar o aplicativo em vários formatos e para várias plataformas, mas com apenas um código. A instalação e uso são extremamente simples. Precisaremos do Node.js instalado. Inclusive, fizemos um artigo onde abordamos Como instalar o Node.JS no Ubuntu, Debian, Fedora, Arch Linux, CentOS e derivados.

Depois de instalado o Node.js, basta instalar o Cordova, em qualquer um dos sistemas com Node.js instalado, com:

sudo npm install -g cordova

Para criar nosso primeiro aplicativo, basta criar uma pasta vazia para o projeto no local de sua preferência, neste caso vamos criá-lo em nossa pasta pessoal:

mkdir ~/App

Agora criamos a estrutura básica, apontando para pasta do aplicativo com:

cordova create app.de.exemplo ~/App
Onde app.de.exemplo deve ser substituído pelo id do seu aplicativo, algo como “exemplo.sempreupdate.helloworld”.
Pronto! O Cordova já criou a estrutura básica, com seus arquivos na pasta “www” que foi criado dentro do diretório ~/App.
Para executar sua aplicação, basta abrir o arquivo “index.html” na pasta “www”.

Para debugar a aplicação, sugiro abrir o arquivo index.html em ~/App/www com um navegador de sua preferência e usar as ferramentas que você já está acostumado, mas também pode fazê-lo visitando http://localhost:8000 em um navegador webkit/blink, mas para isso devemos inserir a plataforma browser que mostrarei na segunda parte desse artigo.

Tudo o que precisa fazer agora é “substituir” o conteúdo da pasta “www” por seus próprios códigos-fonte em HTML/CSS/JS, e executar o app. pronto! Agora, vá para parte 2, Desenvolvimento multiplataforma – Parte 2 – Plataformas.

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

Fork do KDE3, Trinity Desktop R14.0.6 é lançado

Fork do KDE3, Trinity Desktop R14.0.6 é lançado

Desenvolvimento multiplataforma – Parte 2 – Plataformas