Notícias

14/01/2022 às 09:20

6 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

Dispositivos móveis: cada pessoa ficou quase 5 horas conectada todos os dias em 2021

O uso de dispositivos móveis atingiu recordes em 2021, com consumidores globais gastando coletivamente 3,8 trilhões de horas olhando para seus celulares.

Dispositivos móveis: cada pessoa ficou quase 5 horas conectada todos os dias em 2021

Um recorde assustador. Em média, cada pessoa do planeta ficou praticamente 5 horas conectada a um dispositivo móvel durante todo o ano passado. Foram nada mais, nada menos que 3,8 trilhões de horas olhando para o telefone em nossas mãos. É o que mostra o mais recente levantamento da App Annie no relatório State of Mobile 2022


O estudo foi realizado nos 10 principais mercados móveis do planeta. Cada pessoa gastou, em média, 4,8 horas por dia em telefones. Isso representa um aumento de 30 % nos últimos dois anos. 

O CEO da App Annie, Theodore Krantz, acredita que o celular é o dispositivo do futuro. Ele afirma ainda que as tela grandes, especialmente as TVs, estão com os dias contados.

“A tela grande está morrendo lentamente à medida que o celular continua quebrando recordes em praticamente todas as categorias – tempo gasto, downloads e receita”, disse Krantz em comunicado.

Dispositivos móveis: cada pessoa ficou quase 5 horas conectada todos os dias em 2021

Dispositivos móveis: cada pessoa ficou quase 5 horas conectada todos os dias em 2021
Dispositivos móveis: cada pessoa ficou quase 5 horas conectada todos os dias em 2021

O estudo mostra outros dados muitos interessantes e reveladores sobre o tempo que gastamos nos celulares. Sete em cada dez minutos foram gastos em aplicativos sociais ou de foto/vídeo. Mais especificamente, a Geração Z tendia a se inclinar para aplicativos de foto/vídeo, enquanto os Millennials favoreciam aplicativos de compras, finanças e comida/bebida. Além disso, a Geração X e os Baby Boomers usaram o tempo de tela para navegar em aplicativos médicos, de notícias e meteorológicos.

Para a chefe de Marketing Insights da empresa, Lexi Sydow, nossas vidas diárias mudaram drasticamente com serviços remotos e mobile-first.

Nos próximos cinco a dez anos, o celular continuará a transcender a demografia, tornando-se uma ferramenta insubstituível que atua como o centro de controle de nossas vidas diárias, desde bancos, compras, entretenimento, saúde, fitness e muito mais, Lexi Sydow. O mercado está maduro e a demanda é alta por conteúdo móvel, serviços e entretenimento, já que os consumidores baixaram um recorde de 230 bilhões de aplicativos.

No fim das contas, o que importa é o consumo

Desenvolvedores e anunciantes acreditam que esses números mostram um alcance e engajamento mais amplos. Não é à toa, pois consumidores de todo o mundo baixam 435.000 aplicativos por segundo. O relatório observa que os gastos com anúncios para celular atingiram US$ 295 milhões em 2021. Esse número deve chegar a pelo menos US$ 350 bilhões até o final de 2022.

Com essa tendência de crescimento assustador, é normal que o foco de grandes empresas se volte principalmente paras esses dispositivos móveis.

O trabalho remoto levou a um aumento no uso de aplicativos no local de trabalho e produtividade, e provavelmente veremos essa tendência continuar à medida que mais empregadores adotarem um ambiente de trabalho híbrido, disse Lexi Sydow. Em meio à rápida inovação, esperamos que os dispositivos móveis continuem a desempenhar um papel crítico na força de trabalho como meio de gerenciar tarefas e manter as forças de trabalho conectadas.

Via ZDNet

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Mais lidas

Últimos posts

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
×