in

Fabricantes de chips pedem permissão às autoridades americanas para trabalhar durante a pandemia de coronavírus

Gigantes do silício querem ser tratadas como um “negócio essencial”.

Sensores de imagem da Sony são os primeiros com inteligência artificial integrada
Um sensor dessa natureza tem muitos usos em potencial.

As medidas de quarentena podem ter consequências incomensuráveis para as empresas que usam redes de suprimentos globais e complexas. Assim, os fabricantes de chips pediram permissão para trabalhar durante a pandemia de coronavírus para impedir que suas fábricas parem.

Fabricantes de chips querem trabalhar durante a pandemia de coronavírus

A pandemia de coronavírus já deixou sua marca em quase todos os setores e está testando os limites dos sistemas médicos em países da Europa e, dada a atual taxa de novos casos confirmados de infecção, dos EUA.

Além disso, as empresas de tecnologia foram atingidas pela crise. Dessa maneira, uma associação do setor que representa as maiores empresas de semicondutores dos EUA está atualmente trabalhando com autoridades federais que ordenaram bloqueios para convencê-los a permitir sua operação contínua.

Em sua carta pública, a Associação da Indústria de Semicondutores (SIA) argumenta que os fabricantes de chips com fábricas locais como Micron e Intel são essenciais na produção da tecnologia que ajuda a combater o vírus, alimentando computadores e datacenters que possibilitam que milhões de profissionais trabalhem em casa e se comuniquem com os outros. Não apenas isso, mas todos os equipamentos médicos, redes elétricas, sistemas de transporte, educação e praticamente todas as atividades humanas hoje em dia fazem uso da tecnologia em algum nível.

Fabricantes de chips pedem permissão às autoridades americanas para trabalhar durante a pandemia de coronavírus
Imagem: Reprodução | Tech Spot.

O presidente da SIA, John Neuffer, disse que o Homeland Security deve refinar as orientações enviadas às autoridades estaduais para evitar interrupções na fabricação. Ele observa:

É necessário garantir a continuidade das redes de suprimentos de semicondutores e afins. Isso servirá para dar suporte a uma gama ainda maior de serviços que serão digitalizados nas próximas semanas e meses.

Por fim, há um argumento forte de que as operações na indústria de semicondutores são altamente automatizadas. Ainda mais, elas ocorrem em grandes áreas onde as pessoas geralmente trabalham à distância umas das outras. Além disso, os sistemas de filtração mantêm as partículas transportadas pelo ar com tamanho de 0,1 micrômetro (como referência, o coronavírus tem 0,125 micrômetros).

Fonte: Tech Spot