in

Facebook proíbe Deepfake e vídeos manipulados

Porém, limite entre sátira e agressão não está claro.

Os vídeos deepfake e vídeos manipulados por Inteligência Artificial foram notoriamente utilizados para influenciar as reações das massas no passado. Com as próximas eleições nos Estados Unidos da América, o Facebook anunciou a proibição de deepfakes e outros vídeos manipulados de sua plataforma, excluindo o conteúdo que é paródia ou sátira ou conteúdo de vídeo que foi transformado para omitir ou alterar a ordem das palavras. Sendo assim, o Facebook proíbe Deepfake e vídeos manipulados.

O Facebook definiu os dois critérios a seguir para proibir vídeos manipulados enganosos:

Facebook proíbe Deepfake e vídeos manipulados

  • Vídeos que foram editados ou sintetizados de uma maneira que dificulta o discernimento de uma pessoa comum em relação ao vídeo original ou induziriam uma pessoa em erro ao manipular o conteúdo real dito no vídeo não editado.
  • O vídeo foi criado com a implantação de inteligência artificial ou aprendizado de máquina para mesclar, substituir e sobrepor conteúdo a um vídeo para fazer com que pareça um vídeo não editado.

A proibição foi antecipada depois que um vídeo editado artificialmente da presidente da Câmara Nancy Pelosi (D-CA) se espalhou nas redes sociais.

Donald J. Trump

?@realDonaldTrump

“PELOSI STAMMERS THROUGH NEWS CONFERENCE”

Vídeo incorporado

91,5 mil pessoas estão falando sobre isso

Facebook bane deepfakes mas certas manipulações permanecem

O Facebook menciona que o infame vídeo não viola suas políticas e, portanto, não o remove da sua plataforma. O YouTube, por outro lado, removeu o vídeo.

Em sua postagem no blog, o Facebook diz:

Vídeos que não atendem a esses padrões de remoção ainda são elegíveis para revisão por um de nossos verificadores de fatos independentes, que incluem mais de 50 parceiros em todo o mundo, em mais de 40 idiomas.

De acordo com as regras do Facebook, ainda não está definido exatamente que tipo de vídeo ele removerá, pois exclui paródia e sátira. O problema surge quando um vídeo transformado é uma sátira ou paródia para um indivíduo e ofensivo para outro. Depois de enfrentar uma reação severa dos usuários por vídeos manipulados, o gigante da mídia social precisa traçar uma linha clara para conter essa ameaça.

Fonte: Foss Bytes