in

Facebook vazou dados para Microsoft, Amazon, Spotify e Netflix

Facebook vazou dados para Microsoft, Amazon, Spotify e Netflix

O ano está quase acabando porém as notícias ruins para o Facebook parecem longe do fim. Depois de escândalos como o da Cambridge Analytica, várias violações de segurança que vieram a público, surgem novas denúncias.  Segundo o jornal The New York Times, o Facebook vazou dados para Microsoft, Amazon, Spotify e Netflix.

Novas denúncias, velhos problemas

Facebook vazou dados para Microsoft, Amazon, Spotify e Netflix
Imagem: Genbeta

O mesmo jornal já havia divulgado um extenso relatório sobre a atuação da empresa nas eleições norte-americanas. Foram centenas de páginas de documentos internos e entrevistas com mais de 50 funcionários. Desta vez, o relato mostra como o Facebook teria feito acordos para permitir acesso a dados de usuários a 150 empresas. Entre as quais, as gigantes de tecnologia como Microsoft, Netflix, Amazon, Apple, Yahoo, Spotify ou o mecanismo de busca russo Yandex.

Notícias neste sentido não são surpresa quando se trata da empresa de Mark Zuckerberg. No entanto, a violação descoberta parece ter sido a mais grave. Todas essas empresas coletaram os dados sem comunicar ou obter o consentimento por parte dos usuáriosO Facebook se beneficiou ao ganhar em número de usuários e as empresas, “melhorando seus produtos”.

Como o NYT resume, estamos falando sobre fatos muito mais graves que o caso da Cambridge Analytica. Além de conhecidas, muitas dessas empresas tinham credibilidade.

Microsoft, Netflix, Amazon, Apple e Yahoo

Microsoft

As empresas que chegaram a acordos com o Facebook acessaram dados de milhões de pessoas todos os meses. Isso inclui endereços de e-mail e números de telefone, sem o consentimento dos usuários. Por outro lado, o Facebook nunca comunicou aos usuários que estava compartilhando essas informações. Isso é sério por si só. Porém, há outro agravante: usuários que explicitamente se recusaram a compartilhar dados também foram afetados. 

O Facebook permitiu que Spotify, Netflix e o Royal Bank of Canada lessem, escrevessem e apagassem mensagens privadas., Essas empresas conseguiam ver todos os participantes de um tópico e seus comentários. Esses privilégios foram além do necessário. A desculpa era integrar os serviços com o Facebook. Os usuários nunca sabiam que seus dados poderiam ser usados dessa maneira. Muito menos que as empresas operavam como extensões do Facebook.

O Spotify, por exemplo, tinha acesso às músicas que nossos amigos ouvem no Facebook.

No caso da Apple, o NYT informa que seus terminais tinham acesso aos números de contato e entradas de calendário de pessoas que haviam alterado suas configurações de conta para desativar todo o compartilhamento. Além disso, o Facebook permitiu que escondessem dos usuários a coleta de dados pelos dispositivos móveis.

O Yahoo, por sua vez, pôde ver em tempo real as publicações de amigos, graças a um recurso que permitia exibi-las na página do mecanismo de busca. A empresa afirma que não usou essa informação para publicidade.

Com o Bing, a Microsoft conseguiu acessar dados de amigos do Facebook. A Amazon conseguiu acessar nomes e informações de contato. Até mesmo o Yandex, o mecanismo de busca russo relacionado ao Kremlin, tinha acordos com o Facebook para acessar os dados do usuário.

Conhecendo melhor

Isso explicaria, portanto, uma das grandes controvérsias em torno da função “Pessoas que você pode conhecer”. Graças aos acordos, o Facebook coletou dados obtidos por seus parceiros. Era possível saber, por exemplo, se os usuários se relacionavam pessoalmente. Até mesmo dados como compartilhar o mesmo psiquiatra foram expostos. É algo que, por exemplo, o Gizmodo, investigou.

Facebook sempre dá a mesma resposta
Imagem do Herói Fb 001

resposta do Facebook veio logo em seguida. Segundo a empresa, “nenhum acordo deu acesso sem a permissão do usuário”, nem violou o compromisso de 2012 com a FTC dos EUA.

O Facebook nega que os “integrados”, que é como chama as empresas com as quais tinha acordos, acessem dados que não eram permitidos pelo usuário. O estranho é que o Facebook diz que vai cancelar muitos dos acordos. Em princípio, segundo a declaração, eles são legais e não burlaram a lei

É hora de dar adeus?

Portanto, se você se preocupa com sua privacidade e acredita que é hora de abandonar a rede social, aqui estão dois links com as dicas para isso. Primeiro, é possível baixar uma cópia dos nossos dados, conforme a explicação. Depois pode excluir definitivamente a conta ou manter o messenger. Então, para isso clique no botão abaixo:

Excluir Facebook

Só mais um lembrete. Sua conta só será excluída definitivamente após um prazo de 30 dias. 

Fonte

Escrito por Claylson

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Smartphone Librem 5, da Purism, está mais caro

Smartphone Librem 5, da Purism, está mais caro

como-saber-a-versao-do-ubuntu-instalada

Como saber a versão do Ubuntu instalada