in

Fakenews: Apple migraria o Safari para o Chromium

Novo dispositivo X96 é quase tão pequeno quanto um pacote de chiclete.

Fakenews: Apple migraria Safari para o Chromium

Depois da Microsoft, a Apple pode ser o próximo grande nome que planeja migrar para o mecanismo Chromium para seu próprio navegador. É o que afirma um boato que ronda a internet. Assim, de acordo com a fakenews, a Apple migraria Safari para o Chromium. Desta forma, já estaria pronta para abandonar o WebKit para adotar o mesmo mecanismo que alimenta o Google Chrome e, a partir deste ano, o navegador Edge da Microsoft.

A informação foi publicada originalmente pelo blog russo iPhones.ru e vários outros sites em inglês também a publicaram. Existem, segundo eles, até evidências de que o Safari havia sido reconstruído no Chrome. Uma captura de tela que foi incluída em um relatório de bug e mostrou o que as fontes descrevem como uma versão inicial do Safari rodando no Chromium. Alguns alegam que o projeto está em uma fase avançada e a Apple está realmente comprometida em fazer tudo acontecer assim que possível. possível.

E, embora isso possa realmente fazer sentido para a Apple mudar para o Chromium e seguir os passos da Microsoft, a informação é completamente falsa e não há basicamente nenhuma chance de a gigante de tecnologia baseada em Cupertino investir no mecanismo que o Google.

De fato, o WebKit chegou para ficar no Safari, não há dúvida sobre isso e, seguindo em frente, a Apple não tem absolutamente nenhum motivo para investir no Chromium.

Fakenews: Apple migraria Safari para o Chromium

Fakenews: Apple migraria Safari para o Chromium

As evidências que devem confirmar que o Safari está migrando para o Chromium estão vinculadas a um problema de segurança não relacionado a partir de 2015. Assim, a captura de tela que mostra o Safari com base no Chromium também é completamente falsa. Isto porque a Prevenção Inteligente de Rastreamento no Chromium – o ITP é um recurso proprietário do Safari e o Chromium não inclui esse código.

O desenvolvedor da Apple, Ricky Mondello, também confirmou no Twitter que este é um relato falso.

A captura de tela do suposto bug do Chromium inclui um suposto endereço de e-mail da Apple que não pertence a ninguém das equipes do Safari ou WebKit, e o Chromium não possui nenhum código para oferecer suporte ao ITP que possa ser ativado. É uma armação completa, explicou Mondello.

Rick Byers, engenheiro de software do Google no Chromium, encontrou mais provas de que são notícias falsas.

Confirmei que o bug referenciado é um problema de segurança não relacionado a partir de 2015. A maior confirmação que isso é falso está no número do bug que é muito baixo para ter sido criado nos últimos anos. Agora somos mais de 1.000.000.000! , Twittou.

Portanto, é claro que a Apple não comentou o relatório original. No entanto, desta vez está bem claro que nem precisa.

Fonte: Softpedia