in

Google despede 4 funcionários ativistas por supostas violações de segurança de dados

Recentemente, a tensão aumentou entre o Google e alguns funcionários.

Google despede 4 funcionários ativistas por supostas violações de segurança de dados
Imagem: Google.

Na semana passada, mais de 200 funcionários e apoiadores do Google protestaram do lado de fora dos escritórios da sede da gigante da tecnologia em San Francisco pela suspensão de dois funcionários ativistas. Porém, isso acabou fazendo com que o Google demitisse 4 funcionários ativistas.

Rebecca Rivers e Laurence Berland foram demitidos por supostamente violarem a política da empresa, acessando e compartilhando documentos confidenciais. Porém, colegas funcionários do Google contestaram o raciocínio da empresa, dizendo que Berland e Rivers haviam feito isso apenas porque estavam envolvidos em vários esforços de ativismo dentro da empresa.

Tradução do tweet: Acabei de ser informada pelo Google que estou sendo despedida.

Google despede 4 funcionários ativistas

Conforme relatado pela Bloomberg, o Google demitiu ambos os funcionários e outros dois envolvidos nos protestos da semana passada. Além disso, o Google enviou um e-mail a toda sua equipe detalhando sua decisão de demitir quatro funcionários por supostamente “violar suas políticas de segurança de dados“. O e-mail, entregue em nome da Equipe de segurança e investigações do Google, destacou que os funcionários demitidos acessaram injustificadamente os calendários dos funcionários contendo informações de sua localização e compartilharam isso com fontes externas.

Os funcionários do Google, em comunicado à imprensa na semana passada, escreveram:

A empresa está afirmando que foi por acessar calendários e documentos, que é algo que todos nós fazemos. Todavia, sabemos que é uma punição por se manifestar por si e pelos outros.

Além disso, os funcionários argumentaram que os disparos contra Berland e Rivers foram um exemplo de “tentativa de intimidação por força bruta para silenciar trabalhadores”.

Tensão entre Google e seus funcionários

Esse evento recente aumentou as tensões já altas entre o Google e seus funcionários. Nos últimos dois anos, os Googlers vêm protestando e organizando questões, incluindo o tratamento de como a administração lida com acusações de assédio.

Os funcionários do Google escreveram em um comunicado:

Se os Googlers ficarem em licença por tempo indeterminado apenas por acessar documentos, seremos muito menos capazes de realizar nossos trabalhos com eficiência. Pior ainda, sem a capacidade de acessar documentos, muitos de nós seriam incapazes de mudar de equipe, chamar atenção para preocupações éticas como o [projeto militar] Maven ou participar do trabalho massivo de manter os dados de bilhões de usuários. Portanto, essa transparência é fundamental para o nosso trabalho, nós mesmos e nossos usuários.

Google despede 4 funcionários ativistas por supostas violações de segurança de dados
Acima: Escritório do Google em São Francisco. Crédito: Khari Joghnson | VentureBeat.

Em meio às críticas internas do Google, a gigante da tecnologia contratou um escritório de advocacia anti-sindical para aconselhar a gerência sobre como lidar com retaliações internas. Dessa maneira, parece que as tensões permanecerão altas na empresa de tecnologia. Além disso, é provável que isso tenha efeitos duradouros na reputação da empresa.

Neste artigo, você viu que o Google despediu 4 funcionários ativistas por supostas violações de segurança de dados.

Fonte: The Next Web

Leia também:

Pelo menos 45 funcionários do Google enfrentaram retaliação por denunciar abuso, revelam documentos vazados

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.

Cosmo Communicator de tela dupla e mistura Android, Linux, smartphone e computador

Cosmo Communicator de tela dupla mistura Android, Linux, smartphone e computador

Hackers usam páginas de pagamentos de terceiros para enganar vítimas

Hackers usam páginas de pagamentos de terceiros para enganar vítimas