in

Google proibirá anúncios de conspiração de coronavírus para combater desinformação

O Google começará a aplicar a nova regra no próximo mês.

Google não responderá mais a solicitações de dados de autoridades de Hong Kong

O Google está ampliando sua luta contra a conspiração relacionada ao coronavírus, banindo anúncios que contradizem um consenso científico oficial sobre a pandemia. Como resultado, sites e aplicativos não podem mais ganhar dinheiro com a exibição de anúncios promovendo teorias de conspiração desmascaradas sobre a COVID-19. Isso inclui alegações de que o vírus foi criado em um laboratório chinês e de que a pandemia é uma farsa.

O Google começará a aplicar a nova regra no próximo mês. Em suma, além de impedir que os anunciantes criem novos anúncios, ele usará revisores humanos e máquinas para encontrar e tomar medidas contra editores e anunciantes que violam a regra. Além disso, proibirá aqueles que violarem repetidamente sua nova política de usar sua plataforma de anúncios.

Google proibirá anúncios de conspiração de coronavírus para combater desinformação

Como um porta-voz do Google explicou, a nova regra expande a política da empresa contra alegações de saúde prejudiciais, como curas milagrosas para a saúde e coisas que promovem ideias anti-vacinação:

Estamos implementando salvaguardas adicionais ao expandir nossas políticas de alegações de saúde prejudiciais para editores e anunciantes para incluir conteúdo perigoso sobre uma crise de saúde que contradiz o consenso científico.

Google proibirá anúncios de conspiração de coronavírus para combater desinformação
O Google está ampliando sua luta contra a desinformação relacionada ao coronavírus, banindo anúncios que contradizem um consenso científico oficial sobre a pandemia.

Em abril, o Google anunciou que investiria US$ 6,5 milhões para combater a desinformação relacionada ao coronavírus e impedir que as falsas alegações se espalhem.

Além disso, outras plataformas adotaram medidas para combater falsas alegações relacionadas ao coronavírus. Por exemplo, a Apple está rejeitando todos os aplicativos móveis relacionados ao coronavírus que não são de organizações oficiais de saúde; o Twitter está proibindo tweets que perpetuam reivindicações de curas falsas; e o Facebook agora está desmascarando mitos comuns sobre a pandemia em seu centro de informações COVID-19.

Fonte: Engadget

Facebook vai notificar as pessoas que deram ‘like’ em notícias falsas sobre coronavírus

O 5G é o “culpado” pela disseminação do coronavírus?

Gigantes da tecnologia do Vale do Silício se juntam para combater informações falsas sobre o coronavírus

Twitter inicia fact-checking de tweets ligando o 5G à COVID-19

COVID-19 não se importa se você acredita em teorias estúpidas sobre o 5G