in

Hacker de 18 anos rouba criptomoedas no valor de US$ 50 milhões em golpe

Essa foi uma fraude bem organizada envolvendo troca de cartões SIM (SIM swapping scam).

O que acontece quando um garoto de 18 anos apaixonado por hackers leva sua paixão longe demais? Ele ganha US$ 50 milhões em criptomoedas ao organizar um golpe que envolveu a troca de cartões SIM. O hacker Samy Bensaci, de 18 anos, que mora em Montreal, foi acusado de roubo de criptomoedas no valor de US$ 50 milhões. Essa foi uma fraude bem organizada envolvendo troca de cartões SIM.

Hacker de 18 anos rouba criptomoedas em golpe

Em uma tentativa de troca de cartão SIM (SIM swapping scam, em inglês), um hacker assume o seu número de telefone convencendo a equipe de suporte ao cliente de que ele é o verdadeiro proprietário dele. Ainda mais, ele pode agir localizando e explorando vulnerabilidades no sistema de gerenciamento de clientes da sua rede celular. Depois que ele assume o controle, ele o troca com o cartão SIM em sua posse. Em seguida, o fraudador pode invadir sua conta de e-mail, conta bancária e outras contas vinculadas ao seu número de celular.

Robert Ross, vítima de um ataque de troca de SIM realizado por Bensaci, diz:

Por causa da AT&T, o hacker conseguiu controlar o meu Gmail clicando em Esqueci a senha, que enviou um texto para o telefone do hacker em vez do meu para redefinir minha senha de e-mail.

Além disso, Ross afirma que perdeu US$ 1 milhão depois que o hacker comprou Bitcoin no valor de US$ 1 milhão depois de obter acesso à sua conta do Gmail.

Entre as vítimas do ataque de troca de cartão SIM, um dos nomes notáveis é Dan Tapscott, chefe do Instituto de Pesquisa Blockchain e seu filho.

Os federais descobriram que a maioria das vítimas participava de uma conferência anual de criptomoedas e blockchain em Nova York apelidada de Consensus. É possível que o hacker de 18 anos tenha se apossado dos dados dos participantes e feito deles um alvo.

Hacker de 18 anos rouba criptomoedas no valor de US$ 50 milhões em golpe
Os federais descobriram que a maioria das vítimas participava de uma conferência anual de criptomoedas e blockchain em Nova York apelidada de Consensus. Imagem: Reprodução | Fossbytes.

Consequências para Bensaci

De acordo com uma reportagem da mídia local, a polícia para cibercrimes de Toronto apreendeu vários telefones, cartões SIM, computadores e outros equipamentos na casa de Bensaci.

Por fim, Bensaci foi libertado em dezembro de 2019, após cumprir rigorosas condições e pagar uma fiança de CA$ 200.000. Ele está proibido de acessar qualquer dispositivo com conectividade à internet, incluindo telefone celular, computador, PS3, PS4, Xbox e Nintendo Switch. Além disso, ele foi proibido de gerir qualquer exchange de criptomoedas e recebeu ordens de morar com seus pais.

Fonte: Fossbytes