Categorias

o-android-13-tem-codinome-interno-vazado-a-aposta-agora-e-a-sobremesa-tiramisu

Android

Games

Notícias

Tutoriais Linux

Vídeos

Notícias

06/08/2021 às 19:22

9 min leitura

Avatar Autor
Por Claylson Martins

Jovens aprendem mais com uso de tecnologia que na escola

As escolas precisam fazer melhor para competir com a mídia, filmes e jogos para ser o lugar onde as crianças aprendem sobre tecnologia.

Jovens aprendem mais com uso de tecnologia que na escola

A Consultoria Accenture fez uma pesquisa com jovens da chamada Geração Z que são os nascidos nos anos 90. Assim, a consultoria descobriu algo intrigante ou talvez até preocupante. É que essa geração sofre forte influência de filmes e mídias sociais na compreensão do trabalho no setor de tecnologia. Estes dois itens chegam a ser mais importantes do que a escola. 

De acordo com a pesquisa, os jovens no Reino Unido têm menos probabilidade de obter informações sobre carreiras em tecnologia da escola e dos professores do que as mídias sociais, séries de TV e filmes

A mídia social está no topo das fontes de informação sobre aspirações de carreira (31%), vencendo os pais por uma pequena margem (29%) e os professores por uma margem maior (24%). A geração Z tem mais probabilidade de aprender sobre um futuro no setor de tecnologia com a TV e o cinema (27%) do que com a escola (19%).

Isso é bom ou ruim, considerando séries como Mr Robot, que na verdade tinham histórias plausíveis de hackers? Isso até levou as empresas de antivírus a promoverem defesas contra o que o personagem principal do programa, um hacker chamado Elliot, poderia fazer de forma realista. Ao mesmo tempo, os alunos do ensino médio estão evitando os cursos de TIC no Reino Unido, reduzindo a oferta de habilidades muito necessárias na força de trabalho no Reino Unido, nos Estados Unidos e em outros lugares do planeta.

Jovens aprendem mais com uso de tecnologia que na escola

Jovens aprendem mais com uso de tecnologia que na escola

A segurança cibernética é apenas uma parte da indústria de tecnologia e das oportunidades de emprego. As crianças podem se interessar por ciência, economia, marketing e tecnologia mais pura, o que pode tornar o aprendizado de uma linguagem de programação específica uma boa ideia, como Python, MATLAB ou C.

Vale a pena aprender a velha mas ainda veloz linguagem de programação C, por exemplo? Ou aprender JavaScript ou Python, que no caso do Python é mais fácil de aprender e tem a vantagem de bibliotecas pré-compiladas, como NumPy, que ajudam a torná-lo mais rápido para tarefas científicas específicas?

Alguns alunos estão optando por computadores single board baratos como o Raspberry Pi para aprender sobre carreiras futuras em tecnologia, o que os expõe a linguagens de programação, protocolos de rede, segurança e o fato básico de que os computadores precisam de interfaces humanas, como gráfica, toque/gesto, voz, um teclado clássico ou um mouse.

A Accenture entrevistou 1.000 jovens de 16 a 21 anos no Reino Unido sobre suas aspirações de carreira e opções de longo prazo. Ele descobriu que 44% das mulheres jovens disseram ter boas habilidades digitais, mas apenas 40% dos homens disseram que sim. Apesar disso, menos de um quarto dos jovens está confiante em conseguir um emprego em tecnologia.

Shaheen Sayed, líder de tecnologia da Accenture no Reino Unido e Irlanda, disse:

Se a geração nativa digital não está se voltando para a tecnologia como uma opção de carreira, então temos um grande problema de pipeline para a profissão de tecnologia. Os jovens sabem que a tecnologia está redefinindo completamente o mundo agora – mas sua falta de confiança em garantir um emprego de tecnologia indica uma desconexão preocupante entre os jovens, especialmente meninas, e um mercado de trabalho em constante mudança. “

Os entrevistados que estavam interessados ??em empregos em tecnologia disseram que provavelmente escolheriam empregos em IA, análise de dados e segurança cibernética. O que faz sentido até certo ponto, visto que esses são os três principais assuntos na mídia de tecnologia online no momento.  

“É impressionante que os jovens sejam mais influenciados pelos canais digitais do que por suas conexões em casa e na escola ao escolher seus próximos passos”, disse Sayed. 

O aconselhamento profissional precisará atender aos jovens onde eles estão e traçar um quadro envolvente das habilidades necessárias para a economia atual. O desenvolvimento da próxima geração de talentos em tecnologia exige mais do que ter codificação no currículo. A tecnologia avança rapidamente e os assuntos devem evoluir para equipar os jovens com as habilidades digitais que impulsionarão o crescimento econômico. Os empregadores estão procurando pessoas para trabalhar com tecnologias, como IA, à medida que enfrentam desafios globais como as mudanças climáticas e se tornam mais competitivas.

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.