in

KDE Partition Manager 4.0 foi liberado

Além do KDE Partition Manager, a biblioteca KPMcore foi atualizada.

Vulnerabilidades de segurança do KDE são corrigidas no Ubuntu e Debian

O Gerenciador de Partições do KDE agora está muito mais apto e em melhor forma depois de passar por um processo de modernização. As mudanças incluem as bibliotecas mais novas/ideais para manipular o particionamento de disco. O KDE Partition Manager 4.0 foi liberado e é a nova versão que faz uso dessas novas bibliotecas.

O KDE Partition Manager 4.0 foi liberado e fez a transição do uso do libparted para o sfdisk. O código SMART agora usa smartmontools ao invés de libatasmart, e a GUI não precisa mais ser executada como root graças ao uso do KAuth.

O KDE Partition Manager 4.0 também oferece melhor suporte para o LUKS2, suporte para detecção do sistema de arquivos Apple APFS, detecção do Microsoft Bitlocker, correções de LVM e outras melhorias.

Mais de um ano de aprimoramentos

O principal destaque desta versão é que a GUI não precisa ser executada como usuário root. Em vez disso, usamos a estrutura do KAuth (observe que no futuro planejamos usar a API Polkit de nível inferior diretamente, mas esse trabalho ainda não foi iniciado). GUI funcionando como usuário desprivilegiado também faz com que a nossa porta Wayland funcione perfeitamente bem. Como parte do porting Partition Manager para o KAuth, também fizemos as seguintes portas:

O backend do KPMcore foi transferido da libparted para o sfdisk (parte do util-linux). E Caio Jordão Carvalho portou o código SMART. Essas duas portas tornam o KPMcore e o KDE Partition Manager mais portáteis. Num futuro próximo, poderemos ver o port para o FreeBSD, diz o anúncio.

Mais detalhes sobre o KDE Partition Manager 4.0 através do anúncio de lançamento. Assim, leia neste post que tanto o KDE Partition Manager e quanto a biblioteca KPMcore foram liberados com várias atualizações.