Kernel Linux vai descartar infraestrutura de drivers gráficos antigos e obsoletos

Isso deve aumentar a performance do kernel num futuro próximo.

Claylson Martins
3 minutos de leitura

As próximas versões do kernel Linux passarão por mudanças significativas e a tendência é ter um Linux que vai descartar infraestrutura de drivers gráficos antigos e obsoletos. Durante o kernel Linux 6.3, o suporte para vários drivers DRM legados foi removido e agora os patches foram lançados para levar as coisas um passo adiante, eliminando agora a infraestrutura para suportar esses drivers gráficos/de exibição de configuração de modo de espaço de usuário mais antigos.

Os drivers ATI Rage 128, 3Dfx, S³ Savage, Intel 810, SiS, VIA e Matrox MGA DRM foram eliminados no Linux 6.3. Isso faz parte do esforço para remover drivers de GPU obsoletos da era DRI1.

Thomas Zimmermann, da SUSE, agora pretende dar um passo adiante, removendo a infraestrutura para configuração do modo de espaço do usuário. Com o Linux 6.6 sendo o kernel lTS deste ano, é um bom ponto agora eliminar essa infraestrutura e se alguém estiver usando esses drivers antigos fora da árvore ou similares, poderá continuar usando o Linux 6.6 LTS.

Kernel Linux vai descartar infraestrutura de drivers gráficos antigos e obsoletos

Kernel Linux vai descartar infraestrutura de drivers gráficos antigos e obsoletos. Zimmermann escreveu no dri-devel:

Os drivers antigos para configuração do modo de espaço do usuário foram removidos no Linux v6.3. Ninguém reclamou ou solicitou seu retorno. É hora de remover a infraestrutura desses drivers do núcleo DRM.

O recente Linux v6.6 foi designado como lançamento de longo prazo, portanto, todos os usuários restantes terão mais alguns anos para obter uma nova placa gráfica. Os dispositivos legados continuam a ser suportados via simpledrm. 

Mesclar drivers adequados com a configuração do modo kernel também é uma opção.

Os patches 1 a 7 corrigem alguns problemas triviais que foram esquecidos durante a remoção dos drivers.

Os patches 8 e 9 removem as interfaces ioctl legadas. Uma operação é diferente das outras, por isso recebe seu próprio patch.Os patches 10 a 12 removem o código-fonte legado do DRM. 

Sem o patch 13, o código AGP também pode ser simplificado. Costumava haver um arquivo de dispositivo para configuração do modo de espaço do usuário, /dev/agpgart, que agora está obsoleto.

Esses 14 patches eliminam outras 8 mil linhas de código legado no subsistema Direct Rendering Manager. Se nenhuma objeção for levantada, essa remoção herdada da infraestrutura de configuração do modo de espaço do usuário poderá acontecer para o ciclo do kernel Linux 6.8 no novo ano.

TAGGED:
SOURCES:Phoronix
Share This Article
Follow:
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão. Nas horas não muito vagas, professor, fotógrafo, apaixonado por rádio e natureza.