in

KWin-LowLatency, um esforço para gerar menos latência com a área de trabalho do KDE

Objetivo é evitar travamentos e aumentar a performance do KDE.

KDE agora mostra detalhes básicos de hardware e software

O projeto kwin-lowlatency é uma bifurcação independente do gerenciador/compositor de janelas do KWin, com o objetivo de fornecer menos engasgos e uma experiência de desktop KDE mais ágil. Na tentativa de resolver os problemas de latência relatados “pesados” e até 50 ms, a KWin-lowlatency está em desenvolvimento. O trabalho não é apenas relativo a correções, mas sim uma refatoração do código interno de como o KWin carrega a tela. Assim, conheça o projeto KWin-LowLatency, um esforço para gerar menos latência com a área de trabalho do KDE.

Como é este trabalho

kde-partition-manager-4-0-foi-liberado

Atualmente, o KWin depende de um temporizador que não é necessariamente sincronizado com o intervalo vblank do (s) monitor (es). Além disso, existem várias soluções alternativas para proporcionar uma experiência melhor. Porém, essas soluções alternativas podem introduzir atrasos de entrada.

O código kwin-lowlatency retrabalha esse núcleo do código KWin para utilizar o glXWaitVideoSync para acessar diretamente o intervalo do vblank e ignorar o cronômetro existente do KWin. No entanto, esta solução também não é a ideal. Ela só funciona no X11 com GLX e não no EGL (portanto, não no OpenGL ES) e também no suporte a Wayland. Contudo,  para aqueles que usam o KWin no X11 com OpenGL, isso tem o potencial de oferecer uma experiência melhor.

Devido ao uso do GLX e ainda não recebendo testes suficientes, o trabalho não está apontando para o upstream do KWin no momento. Além disso, o desenvolvedor está planejando mesclar o branch não redirecionado do Windows. E esse é o código que os desenvolvedores de certa forma rejeitaram.

Mais informações sobre KWin-LowLatency

Aqueles que querem saber mais ou se envolver com o projeto KWin-Lowlatency para tentar ajudar a aprimorar a experiência de área de trabalho do KDE podem acessar através do site do projeto GitHub. Da mesma forma, lá estarão todos os arquivos necessários para quem deseja experimentar este projeto.

Fonte

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Firefox 67 é lançado

Mozilla lança o Firefox 66.0.5 com mais correções para bug de extensão

Microsoft dá sinal verde para testes do navegador Edge

Microsoft ajudará a reduzir uso de memória do Google Chrome