in

Linux: Mitos ” Segurança em Linux”

Você pode pensar que o Linux é seguro, mas será que é seguro nativamente ou é preciso fazer mais alguma coisa?

linux-mitos-seguranca-em-linux

Todos sabemos que o Linux é infinitamente mais seguro que o Windows, mas não podemos vacilar, temos que nos proteger. Por anos, os usuários do GNU/Linux tiveram a noção de que seu sistema operacional era superior ao Microsoft Windows em termos de segurança. Infelizmente, o que os hackers ganham em comprometer um computador ou rede também mudou ao longo do tempo.

Originalmente, a maioria dos ataques contra computadores era proveniente de hackers procurando por notoriedade em suas comunidades. Havia casos de hackers mal-intencionados procurando obter informações sensíveis por motivos financeiros. Mas o conceito de roubo de informações financeiras ou confidenciais para obter lucro não era o objetivo principal dos hackers—até recentemente.

Atualmente, organizações criminosas bem organizadas se utilizam de hackers mal-intencionados com o propósito exclusivo de violar sistema de segurança de computadores para vantagem financeira. Ao longo dos anos, as perdas monetárias devido a violações de computador têm sido estimadas em centenas de bilhões.

Quando o prejuízo era a principal motivação para hackers mal-intencionados, os sistemas Windows eram seus principais alvos. O Windows era fácil para qualquer pessoa, não apenas apaixonados por computador, utilizar.

E assim, os computadores desktop começaram a aparecer em quase todas as casas, escolas, e empresa ao redor do mundo; e eram utilizados por pessoas com habilidades de computação abaixo da média. Com um conjunto tão grande de usuários novatos, os hackers mal-intencionados não sentiam falta de alvos fáceis.

O Windows também se tornou um alvo favorito de alguns hackers mal-intencionados devido ao seu software proprietário. Alguns ataques eram motivados pelo desejo de trazer publicidade negativa à Microsoft, que não era vista como uma apoiadora da comunidade de software livre. Estes ataques também começaram a criar mitos sobre segurança nos círculos de computação.

O GNU/Linux é mais seguro do que o Microsoft Windows?

Um dos mitos mais populares circundantes à segurança de computadores é que o GNU/Linux é mais seguro do que o Windows. Muitos fatores devem ser considerados ao determinar o grau de segurança de um sistema. O fator mais importante é como o sistema foi configurado.

É muito pouco provável que um sistema GNU/Linux configurado por um novato completo seja mais seguro do que um sistema Windows configurado por um especialista altamente qualificado.

Este tutorial aborda a configuração adequada do desktop do GNU/Linux. Ao executar as etapas para configurar seu sistema de computador adequadamente, você poderá ter a certeza de que o seu sistema está seguro. Aceitar cegamente o mito de que o “Linux é mais seguro” pode levar a problemas.

Então, se for usar alguma distribuição que vá expor algum conteúdo ou prestar serviços na web, é bom ler um pouco mais sobre o sistema, ou então, procurar alguém que entenda bem do assunto, evite problemas, dores de cabeça e até por a culpa no sistema. As possibilidades com o Linux são inúmeras, e elas vão de um sistema seguro e robusto ou um verdadeiro paraíso para crackers.

Até nisso com o Linux é possível, obviamente que comparado ao Windows, a possibilidade de comprometer o sistema Linux com vírus ou softwares maliciosos é mínima, no entanto, no quesito segurança, uma configuração errada pode por tudo a perder, e aí a culpa não é do sistema, e sim do ou dos desavisados que não conhecem o sistema e não fazem o mínimo de esforço para aprender um pouco mais.

Written by Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

influência do Debian

A influência do Debian na comunidade GNU/Linux

Fedora 31 planeja atualizar para o RPM 4.15

Fedora 31 planeja atualizar para o RPM 4.15