Categorias

o-android-13-tem-codinome-interno-vazado-a-aposta-agora-e-a-sobremesa-tiramisu

Android

Games

Notícias

Tutoriais Linux

Vídeos

Notícias

15/01/2021 às 12:00

4 min leitura

Avatar Autor
Por Jardeson Márcio

Lista Negra dos EUA: Xiaomi nega conexão militar chinesa

xiaomi-e-removida-de-lista-de-sancoes-dos-eua

Um dia depois de ter sido adicionado a uma lista negra dos EUA para empresas com supostos laços com o exército chinês, a Xiaomi respondeu oficialmente negando conexão militar. A empresa emitiu a seguinte declaração ao site Android Authority:

A empresa está em conformidade com a lei e operando em conformidade com as leis e regulamentos relevantes das jurisdições onde conduz seus negócios. A empresa reitera que fornece produtos e serviços para uso civil e comercial. A empresa confirma que não pertence, é controlada ou afiliada aos militares chineses e não é uma “Companhia Militar Comunista Chinesa” definida pelo NDAA. A empresa tomará as medidas adequadas para proteger os interesses da empresa e de seus acionistas.

A empresa está revisando as possíveis consequências disso para desenvolver uma compreensão mais completa de seu impacto no Grupo. A empresa fará novos anúncios como e quando apropriado.

lista-negra-dos-eua-xiaomi-nega-conexao-militar-chinesa

Imagem: Investing.com

Empresas Chinesas na mira da Lista Negra Americana

Além da Xiaomi, outras nove empresas chinesas foram adicionadas à lista negra dos EUA. No entanto, vale lembrar que, esta não é a mesma lista à qual Trump adicionou o nome da Huawei em 2019. Essa lista está relacionada a empresas que supostamente têm laços diretos com o governo chinês e proíbe empresas sediadas nos Estados Unidos de trabalhar com eles.

A lista em que a Xiaomi foi inserida diz repeito à supostos laços com militares chineses. Aparentemente, o governo Trump acredita que os laços de Xiaomi com os militares são próximos o suficiente para representar uma ameaça potencial aos EUA.

A lista Negra Americana e a Xiaomi

Essa lista negra existe desde 1999. No entanto, ela carecia de qualquer força real até que Trump concedeu uma ordem executiva que proíbe os investidores americanos de investir em empresas na lista negra. Assim, com o nome de Xiaomi adicionado à lista negra, as coisas ficaram difíceis.

A presença da Xiaomi nesta lista negra apenas impede os investidores dos EUA de investirem na empresa. Isso não afetará a cadeia de suprimentos da Xiaomi e não impedirá que as empresas sediadas nos EUA vendam equipamentos e materiais para a Xiaomi, por exemplo.

No entanto, isso fará com que o estoque da Xiaomi caia. Isso também fará com que a empresa perca muito capital líquido, já que os investidores americanos precisarão vender suas ações na Xiaomi até 11 de novembro de 2021. E, certamente, o valor de mercado vai ser bem inferior ao de hoje.

Como Donald Trump tem poucos dias no governo, pode ser que a situação mude quando o Presidente eleito assumir a presidência dos EUA. Por enquanto, a Xiaomi segue com esse aborrecimento!

Com informações de: Android Authority

Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.