in

Mídia estatal da China usa nova versão de Linux local para trollar Trump

Há uma versão de desktop do sistema que suporta aplicativos Android!

Mídia estatal da China usa nova versão de Linux local para trollar Trump

O KylinOS, a versão Linux local da China, teve um novo lançamento importante e uma de suas novas funções é um símbolo da capacidade do país de progredir, apesar das proibições comerciais dos EUA.

O desenvolvedor do KylinOS, a Kylinsoft (parte da estatal China Electronics Corporation), disse que o lançamento é ideal para virtualização, Kubernetes, Docker e LXC.

Mídia estatal da China usa nova versão de Linux local para trollar Trump

O Galaxy Kylin Advanced Server V10 surgiu com suporte para chips projetados localmente usando as arquiteturas MIPS, SPARCv9 e Arm. A versão também suporta CPUs x86 provenientes da joint venture da AMD na China e outras derivadas da Via no mercado x86.

Mídia estatal da China usa nova versão de Linux local para trollar Trump
O KylinOS, a versão Linux nacional da China, teve um novo lançamento importante.

O sistema operacional é recomendado para:

Ambiente em nuvem… governo, defesa nacional, finanças, educação, tributação, segurança pública, auditoria, transporte, tratamento médico, manufatura e outros campos.

Em outras palavras, um Linux que deve escalar bem e pode executar as coisas necessárias para fazer a computação moderna. Além disso, há uma versão de desktop do sistema que suporta aplicativos Android!

No editorial do órgão estatal China Daily em inglês sobre o novo lançamento, os leitores são informados:

O sistema operacional Kylin V10 sem dúvida aumenta a confiança popular de que os esforços mundiais de Washington para suprimir o progresso tecnológico chinês podem não ter tão sucesso conforme previsto.

O editorial destaca a capacidade do sistema operacional de trazer o Android:

[Se funcionar bem,] é realmente um grande passo à frente para o setor doméstico de tecnologia da informação, que está sob enorme pressão enquanto a Casa Branca tenta estrangular o desenvolvimento chinês de alta tecnologia em nome da segurança nacional.

O editorial prossegue dizendo que o Kylin alimenta os supercomputadores Yinhe e Tianhe da China e está presente em seu programa espacial. Por fim, também reconhece que o sistema operacional não liderou o mundo.

Fonte: The Register

Linux levará até 10 anos para substituir o Windows na China

Hackers apoiados pela China atacam servidores Linux por uma década

China adverte que não assistirá o TikTok sendo dominado pelos EUA

ARM e Linux dominam o topo da lista dos 500 supercomputadores mais rápidos do mundo