in

Modders conseguem descompilar código-fonte do Super Mario 64

Publicaram o código-fonte do jogo na linguagem C.

Modders conseguem descompilar código-fonte do Super Mario 64

Sem dúvida, um dos jogos mais conhecidos e, especialmente, o personagem principal da Nintendo foi o Mario e é que, desde os jogadores antigos até as novas gerações, que mal estão conhecendo os consoles da Nintendo, apenas vendo a imagem desse personagem icônico que já o conhecem rapidamente. No entanto, um grupo de modders conseguiram descompilar Super Mario 64 e publicar o código na linguagem C, acredito que eles também sejam fãs da série de jogos da Nintendo.

E ainda mais, todos os jogadores dos anos 90 sabem e, acima de tudo, ouso dizer que um dos jogos de maior sucesso da Nintendo é o Super Mario 64 em seu console Nintendo 64. Desde 1998 até hoje, mais de vinte anos se passaram e Este jogo ainda é o favorito de jogadores de todas as idades.

Desde então, os fãs deste jogo criaram muitos recursos torno do jogo, no entanto, as modificações foram limitados pela falta de código-fonte.

Agora isso é coisa do passado, pois foram divulgadas recentemente as notícias de que alguns modders conseguiram descompilar o código-fonte e lançaram um arquivo reconstituído do Super Mario 64.

Do código-fonte do Super Mario 64

Modders conseguem descompilar código-fonte do Super Mario 64

Então, este código fonte consiste em cerca de 15 megabytes, incluindo o gerenciamento de caracteres Mario (na linguagem C).

Os modders explicam que eles fizeram isso porque a Nintendo não permitiu otimizações durante a compilação.

No entanto, a manobra permite que os editores de videogame reduzam o tamanho do código-fonte e ocultem sua estrutura, pois os modders perceberam que os desenvolvedores do editor japonês compilaram sem o indicador “-O” para obter o binário que o console está executando.

Com base nessa omissão, os modders precisaram apenas ler o código de montagem e reescrever as funções que foram testadas posteriormente até obterem uma ROM funcional.

Essa base de código é um tesouro para preservar a todo custo. Acontece que, se você compilar sua ROM sem otimizações, é muito fácil obter o código não compilado do assembler. A Nintendo deveria ter revisado os CFLAGS antes de publicar as versões americana e japonesa, disseram eles.

No entanto, o sucesso da operação exigiu que eles conseguissem emular uma versão antiga do IRIX para executar um kit de desenvolvimento Nintendo 64 idêntico ao que os desenvolvedores da empresa confiavam.

Com o lançamento dessa base de código, agora aqueles que estão interessados em conhecer seu código e aqueles que desejam fazer modificações podem fazê-lo.

Em teoria, essa situação abre as portas para portar o jogo em outras plataformas de computador. Em termos de desempenho, a experiência pode ser benéfica porque a disponibilidade de versões nativas pode ser feita sem emuladores.

Além disso, existe a possibilidade de os modders poderem detectar e corrigir alguns erros do editor japonês. Entretanto, os comentários iniciais mostram que a compilação com opções de otimização fornece uma experiência de jogo mais fluída.

Direitos legais da Nintendo

Modders conseguem descompilar código-fonte do Super Mario 64

Por outro lado, alguns internautas comentaram que essa situação é cuidadosa, pois a empresa japonesa zela por seus interesses.

Isso é dito em referência ao fato de que, há mais de um ano, a Nintendo iniciou ações legais contra sites que oferecem ROMs de jogos recentes ou retrô, onde a acabou ganhando a causa e agora os sites envolvidos devem pagar $12 milhões por violação de direitos de autor direto e indireto.

Da mesma forma, é possível dar uma olhada no código fonte do Mario 64 ou, para aqueles que estão interessados em poder descompilar o código, os modders indicam que é necessário ter uma cópia anterior do jogo para poder descompilar o jogo. uma distribuição Linux ou para usuários do Windows precisará fazer uso da WSL.

Será que a Nintendo age contra isso ou simplesmente ignora a situação e tenta se beneficiar? Pois, melhorias e detecção de erros poderiam ser implementadas pela comunidade.

Você pode seguir as instruções detalhadas nesse link.

Fonte: DesdeLinux

Escrito por Fabiano Rodrigues

Usuário de Linux desde o Kurumin; servidor público, tecnólogo em análise e desenvolvimento de sistemas, amante de software livre e de código aberto; apaixonado por jogos, louco por rock e heavy metal, filmes e seriados.

SoftMaker FreeOffice lança nova versão com modo escuro

SoftMaker FreeOffice lança nova versão com modo escuro

Richard Stallman continuará como chefe do projeto GNU

Richard Stallman dá palestra na Microsoft Research