in

Novas tecnologias e a privacidade: O que você precisa saber

Aprenda o que vai ser tendência e como se proteger!

afinal-existe-algo-que-nao-se-possa-fazer-sem-a-tecnologia-digital

À medida que o uso de Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning se torna cada vez mais popular, os consumidores estão mais preocupados do que nunca em proteger sua privacidade em meio a essas novas tecnologias. A conscientização sobre como as atividades estão sendo rastreadas e como as informações pessoais estão sendo acessadas e usadas está crescendo. As maiores empresas do mundo são frequentemente desafiadas pelas formas de coletar e utilizar os dados das pessoas.

A crescente preocupação em torno da privacidade e segurança dos dados abrange tecnologias on-line e off-line. Enquanto os consumidores estão bem com algumas formas de rastreamento, a maior preocupação é como ele pode ser usado para vigilância. Aqui estão três tecnologias emergentes controversas com implicações ameaçadoras à privacidade que você pode não ter considerado.

Tecnologias de rastreamento e localização em telefones celulares

As novas tecnologias são capazes de rastrear e registrar todos os seus movimentos, revelando informações detalhadas sobre seu estilo de vida e suas escolhas pessoais. Por exemplo, seu celular registra sua localização com torres de celular a cada poucos minutos sempre que é ligado. As operadoras de celular coletam esses dados de seus clientes, e os funcionários do governo podem obter informações detalhadas sobre você facilmente acessando sua localização. Além disso, existe a possibilidade de dados confidenciais serem coletados, incluindo localização, listas de contatos, registros de chamadas e conteúdo de mensagens de texto e chamadas.

Tecnologias de reconhecimento facial

As tecnologias de reconhecimento facial analisam imagens de rostos humanos com o objetivo de identificá-los. Essas tecnologias são frequentemente usadas para vigilância geral e coletam passivamente imagens sem o conhecimento ou consentimento das pessoas.

As pessoas estão se conscientizando das implicações de privacidade associadas à tecnologia de reconhecimento facial e estão se posicionando. Em maio, San Francisco (EUA) proibiu o uso da tecnologia de reconhecimento facial pelas agências da cidade, e outras cidades estão considerando regulamentar a tecnologia de reconhecimento facial, à medida que ela se torna cada vez mais controversa.

Recentemente, o estado da Califórnia proibiu o uso de reconhecimento facial nas câmeras corporais da polícia. Essa nova legislação garante que as câmeras corporais, que foram promovidas como uma ferramenta para a responsabilização de oficiais, não possam ser distorcidas em sistemas de vigilância usados para atingir e oprimir populações marginalizadas. A lei da Califórnia é impressionantemente mais preventiva do que reativa, pois nenhum policial da Califórnia usava câmeras corporais com software de reconhecimento facial antes desta nova regra.

Apesar da crescente conscientização sobre os perigos do reconhecimento facial, tecnologias e programas que o utilizam ainda são comuns. A França está atualmente no processo de criação de um programa nacional para criar identidades digitais legais para seus cidadãos usando o reconhecimento facial. E a França não está sozinha. De acordo com um relatório divulgado pela Carnegie Endowment for International Peace, pelo menos 75 dos 176 países em todo o mundo estão ativamente usando tecnologias de IA para fins de vigilância.

Novas tecnologias e a privacidade: O que você precisa saber
A China está investindo muito em reconhecimento facial.

Leitores automáticos de placas

Os leitores automáticos de placas (ALPRs, sigla em inglês) são uma tecnologia emergente de vigilância projetada para rastrear os movimentos de todos os motoristas que passam e registrar acidentes de trânsito. Esses leitores costumam ser montados em carros da polícia ou em objetos como sinais de trânsito, pontes ou semáforos. Eles usam câmeras discretas de alta velocidade para fotografar indiscriminadamente não apenas placas, mas também pedestres, ciclistas, trabalhadores, residentes e animais.

As imagens de vídeo coletadas por esses leitores geralmente são agrupadas em sistemas regionais de compartilhamento e, como resultado, enormes bancos de dados de informações pessoais de pessoas inocentes estão se expandindo rapidamente. Esses dados podem ser mantidos indefinidamente, com pouca ou nenhuma restrição de privacidade, e podem ser vendidos e usados por qualquer pessoa que esteja disposta a pagar por eles. Além disso, como essas câmeras de vigilância são pequenas e geralmente bem escondidas, geralmente passam despercebidas, tornando-as especialmente invasivas e ameaçadoras.

Uso errado das novas tecnologias

Para piorar a situação, essa tecnologia é frequentemente abusiva. Dados que a Electronic Frontier Foundation obteve do Departamento de Polícia de Oakland mostram que a polícia desproporcionalmente distribui veículos montados com ALPRs em comunidades de baixa renda e em comunidades onde a maioria é negra. Além do abuso deliberado deste software, os ALPRs não são à prova de idiotas e às vezes interpretam mal as placas, levando a sérias conseqüências.

Em 2009, a polícia de San Francisco parou Denise Green, uma funcionária afro-americana da cidade, algemou-a com arma apontada para ela e revistou tanto ela quanto seu carro – tudo porque seu veículo foi identificado incorretamente como roubado devido a um erro no leitor de placa. Esse incidente horrível levou o Tribunal de Apelações do Nono Circuito dos EUA a decidir que a tecnologia sozinha não pode ser a base para esse tipo de abordagem. Infelizmente, essa legislação não se aplica a todos os lugares, deixando as pessoas vulneráveis a trágicos erros de aplicação da lei.

Como posso proteger minha privacidade em meio às novas tecnologias?

As pessoas não devem ser forçadas a escolher entre tecnologia e privacidade. Embora alguns aspectos da privacidade estejam infelizmente fora do controle das pessoas, existem várias práticas e comportamentos nos quais as pessoas devem se envolver. Por exemplo, pratique o que é mostrado abaixo:

  • Escolha senhas fortes e exclusivas para cada uma das suas contas
  • NUNCA compartilhe senhas
  • Defina bloqueios automáticos em todos os dispositivos
  • Evite conectar-se a redes WiFi não seguras
  • Baixe aplicativos de fontes confiáveis
  • Limite informações pessoais fornecidas a aplicativos e sites
  • Gerencie o que é compartilhado on-line
  • Incentive a educação e a conscientização

Por fim, ao tomar medidas para proteger aspectos de nossa privacidade que estão sob nosso controle e ao desafiar programas e iniciativas ameaçadores à privacidade, podemos trabalhar coletivamente para criar um futuro mais seguro!

Neste artigo, você aprendeu o que você precisa saber sobre a relação entre as novas tecnologias e a privacidade.

Fonte: Linux Security

Leia também:

É possível monetizar dados respeitando a privacidade

Lançado mais um celular voltado à privacidade

Escrito por Leonardo Santana

Astrônomo amador e eletrotécnico. Apaixonado por TI desde o século passado.

Canonical lança atualização de segurança do kernel para Ubuntu 19.10 e 18.04 LTS

Bug do Ubuntu 19.10 compartilha pastas de mídia com outras pessoas

BMW continua fazendo grandes progressos com o Linux

BMW continua fazendo grandes progressos com o Linux