in

O futuro da Internet das Coisas depende do código aberto

O código aberto permite personalizar, reutilizar e melhorar nosso código.

O futuro da Internet das Coisas depende do código aberto

A Internet das Coisas (IoT) se refere a objetos inteligentes em uma rede conectada. Um objeto inteligente tem uma noção de seu ambiente, toma decisões e, em seguida, coloca essas decisões em ação.

Para ser inteligente, o objeto deve ter um cérebro (computador). Um desenvolvedor pode escrever um software para este minúsculo computador que usa a capacidade do dispositivo de coletar dados de todos os tipos de sensores (por exemplo: calor, luz, umidade) e agir sobre eles usando a tela do dispositivo, alto-falante, atuadores e assim por diante.

A Internet das Coisas depende do código aberto

Frequentemente associamos a IoT a pequenos objetos programáveis, como uma lâmpada inteligente ou fechadura. Embora esses sejam bons usos da IoT, ela é maior do que isso. A IoT está conduzindo o próximo estágio de nossa sociedade centrada na informação.

O futuro da Internet das Coisas depende do código aberto
A Internet das Coisas (IoT) se refere a objetos inteligentes em uma rede conectada.

Os sistemas de informação se tornaram uma parte natural de nossa vida cotidiana. Você não precisa mais se sentar na frente de um computador para navegar na internet porque um smartphone pode trazer o mundo inteiro para a palma da sua mão.

A conveniência desses sistemas de informação nos incentiva a coletar e usar mais dados de tudo. Em alguns anos, os humanos não serão os maiores produtores e consumidores de dados; coisas serão.

Inteligência artificial das coisas

A inteligência artificial das coisas (AIoT) é o elemento mais fundamental em dispositivos inteligentes. A AIoT é um mundo aberto por natureza. A diversidade de objetos inteligentes significa que ninguém pode dominar todo o mercado e devemos trabalhar juntos para fazer as coisas conversarem entre si. Existem muitos níveis de abertura, como formatos de arquivo, pilhas de protocolo e APIs. Tudo isso depende da abertura da interface e da implementação do código-fonte.

O código aberto permite personalizar, reutilizar e melhorar nosso código. Essa flexibilidade é importante. O autor original de um sistema operacional AIoT pode não ser um especialista em tudo. Outros desenvolvedores têm diferentes tipos de conhecimento que podem usar para construir sobre uma base aberta.

Se um sistema operacional for bem projetado e tiver uma comunidade ativa, ele pode fornecer drivers, protocolos, bibliotecas, estruturas e todos os tipos de ferramentas reutilizáveis. Todos esses componentes podem acelerar drasticamente o desenvolvimento do produto. Sem uma plataforma de código aberto, as pessoas têm que construir essas peças repetidamente.

Por exemplo, o projeto RT-Thread tem trabalhado para atingir esse objetivo. O RT-Thread é um sistema operacional IoT de código aberto que começou em 2006 e atualmente alimenta 600 milhões de dispositivos!

Fonte: opensource.com

Fedora deve lançar versão IoT junto com Workstation e Server

Como responder às demandas extremas de segurança da IoT com 5G?

Problema grave de segurança foi detectado em todos os dispositivos IoT

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.