in

O que aconteceu com o IPv5? Por que existe IPv4, IPv6, mas não IPv5?

Já houve um IPv5? Se sim, o que aconteceu com ele?

Se você já passou algum tempo no mundo da internet, deve ter ouvido falar dos protocolos IPv4 e IPv6 que nossos computadores usam todos os dias.

Uma pergunta que você pode estar fazendo é: Por que não existe IPv5? Por que o IPv6 veio depois do IPv4 e não do IPv5? Já houve um IPv5? Se sim, o que aconteceu com o IPv5?

A resposta é sim, houve um IPv5… mais ou menos.

O início da história da internet

No final dos anos 60, a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada do Departamento de Defesa dos EUA (ARPA) iniciou um projeto para conectar computadores em todo o país. O objetivo inicial era criar um sistema em rede de todos os computadores financiados pela ARPA em todo o país.

O que aconteceu com o IPv5? Por que existe IPv4, IPv6, mas não IPv5?
Mapa da ARPANET. Imagem: Wikipedia.

Como essa foi a primeira vez que uma rede dessa escala foi montada, eles também estavam criando a tecnologia e o hardware à medida que avançavam. Uma das primeiras coisas em que eles trabalharam foi um protocolo de internet (IP) chamado Transmission Control Protocol (TCP). Esse protocolo serve para “entrega confiável, ordenada e verificada entre aplicativos em execução em hosts que se comunicam via rede IP”. Basicamente, garantiu que os dados chegassem onde precisavam ir com segurança.

Originalmente, o TCP foi projetado para ser “um protocolo de nível de host, ponta a ponta, e um protocolo de empacotamento e roteamento”. No entanto, eles perceberam que precisavam dividir o protocolo para torná-lo mais gerenciável. Foi decidido que o IP trataria de empacotamento e roteamento.

Nessa época, o TCP/IP havia passado por três versões. Assim, o novo protocolo ficou conhecido como IPv4.

O nascimento do IPv5

O IPv5 iniciou a vida com um nome diferente: Internet Stream Protocol (ou ST). Foi criado para experimentar o streaming de voz e vídeo “pela Apple, NeXT e Sun Microsystems”.

Este novo protocolo foi capaz de “transferir pacotes de dados em frequências específicas, mantendo a comunicação”.

Então, o que aconteceu com o IPv5?

O IPv5 nunca foi aceito como um protocolo oficial da internet. Isso ocorreu principalmente devido à limitação de 32 bits.

O IPv5 usou o mesmo sistema de endereçamento que o IPv4. Cada endereço era composto de quatro conjuntos de números entre 0 e 255. Dessa maneira, isso limitava o número de endereços possíveis a 4,3 bilhões.

No início dos anos 70, isso poderia parecer mais do que o mundo jamais precisaria. No entanto, o crescimento explosivo da internet provou que essa ideia estava errada.

Na década de 1990, um novo projeto foi iniciado para trabalhar na próxima geração de protocolo de internet. Isso levou ao IPv6 de 128 bits. Um endereço IPv6 contém uma “série de oito números hexadecimais de 4 caracteres” que podem conter números de 0 a 9 e letras de A a F. Ao contrário do IPv4, o IPv6 tinha trilhões de endereços possíveis; portanto, devemos ficar seguros por um tempo.

Enquanto isso, o IPv5 lançou as bases para a tecnologia de voz sobre IP que usamos para nos comunicar hoje em todo o mundo. Então, de alguma forma, você poderia dizer que o IPv5 ainda sobrevive até hoje.

Fonte: It’s FOSS