in

Pela credibilidade e consistência do YouTube: Novidades sobre a revisão da parada musical da plataforma e a estreia da política de recordes nas primeiras 24 horas de exibição

Mais uma novidade chegando à plataforma do YouTube!

pela-credibilidade-e-consistencia-do-youtube-novidades-sobre-a-revisao-da-parada-musical-da-plataforma-e-a-estreia-da-politica-de-recordes-nas-primeiras-24-horas-de-exibicao

Cada geração tem o próprio barômetro para saber quais são as músicas e artistas quentes do momento. Hoje em dia, esse barômetro é o YouTube. Não há jeito melhor de medir a temperatura da música mundial na atualidade do que nossa plataforma. Trabalhamos diariamente para mostrar e celebrar os artistas, as músicas e os clipes mais ouvidos e acessados do mundo.

Estamos anunciando hoje mudanças importantes à parada musical do YouTube – destino certo para quem quer saber o que está bombando, o que vai bombar e quais são as tendências (locais e globais) no YouTube. Estamos também atualizando a forma com que determinamos quais vídeos entram na lista de recordes de visualizações durante as primeiras 24 horas de exibição na plataforma.

A parada musical do YouTube se tornou uma fonte indispensável para a indústria da música, um lugar para medir com grande precisão a popularidade de canções e o comportamento dos ouvintes na maior plataforma musical do mundo.

Para oferecer maior transparência à indústria da música e nos alinhar às políticas de empresas que produzem rankings oficiais (como Billboard e Nielsen), não vamos mais considerar as visualizações de publicidade paga no YouTube na hora calcular quem entra na parada musical. Agora, os artistas serão classificados com base na contagem de visualizações orgânicas.

Nos últimos anos, fãs, artistas e suas equipes vêm contando o número de visualizações dos vídeos em suas primeiras 24 horas de exibição no YouTube, e usando esse número como representação definitiva de seu impacto cultural instantâneo. Para nós, isso é uma honra – e levamos isso muito a sério. Dentro do nosso trabalho para manter a consistência e a credibilidade da plataforma, fizemos revisões necessárias ao método de registrar esses recordes nas primeiras 24 horas.

Com isso, nosso objetivo é garantir que o YouTube continue sendo um lugar onde os artistas sejam reconhecidos e celebrados de forma precisa e justa por seu sucesso, quando atingirem marcos de popularidade.

Os vídeos que podem entrar no ranking de recorde nas primeiras 24 horas são aqueles com o maior número de visualizações vindas de fontes orgânicas, resultados de busca, sites externos que tenham o vídeo inserido e também recursos do YouTube como a página principal, a seção de “próximos” vídeos e os que estão “em alta”.

A publicidade em vídeos é uma forma eficaz de atingir públicos específicos na estreia de uma música – mas visualizações de conteúdo pago no YouTube não serão mais computadas para estabelecer os recordes de estreias nas primeiras 24 horas de exibição. Essas mudanças não terão impacto sobre os atuais detentores de recordes das primeiras 24 horas após a estreia.

A grande missão do YouTube é dar uma voz a todas as pessoas, e mostrar essas vozes ao mundo. Em respeito a esse compromisso, queremos celebrar as conquistas dos artistas na nossa plataforma, realizadas com a ajuda de fãs de todo o mundo. Graças a artistas e fãs, o YouTube é o melhor e mais preciso termômetro dos gostos musicais do mundo, e queremos preservar essa conquista.

Para mais informações sobre o cálculo que determina a parada musical do YouTube, clique aqui. Para mais detalhes sobre visualizações e publicidade no YouTube, clique aqui.

Enviado pela assessoria de imprensa do Google no Brasil ao SempreUpdate!

Escrito por Redação SempreUpdate

Os artigos vinculados à este usuário são de terceiros. A informação aqui contida não foi elaborada originalmente por nós do SempreUpdate. Mas, publicamos conforme solicitação, envio ou recomendações do próprio autor, assessoria e outros departamentos comerciais ou não comerciais.

Como instalar o Opera no Linux

Como instalar o Opera no Linux

Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo

Menos de 1/4 das fintechs preparadas para o Brexit sem acordo