in

Pioneiro quer salvar internet dela mesma

 Kleinrock está de volta com um novo plano para talvez salvar a Internet de si mesma.

Pioneiro quer salvar internet dela mesma

Cinquenta e oito anos atrás, Leonard Kleinrock propôs uma nova maneira de examinar os padrões de atividade em grandes redes de comunicações, como a rede telefônica. Essa análise matemática e estatística, seu Ph.D. A tese do MIT formou a base de uma abordagem para lidar com pacotes de dados que levariam Kleinrock a formar, junto com outros cientistas, a Internet, que foi lançada em 1969. Portanto, cinqüenta anos após a primeira mensagem na Internet, o pioneiro da rede mundial quer salvar a internet dela mesma, ou seja, do que ela se transformou neste tempo.

Seria uma espécie de segunda chance ou renascimento da internet.

Como você sabe, a internet iniciou como uma rede democrática, gratuita, compartilhada, ética e aberta, e perdemos muito disso, disse Kleinrock. Minha esperança é que essa tecnologia nos ajude a voltar nessa direção, salientou.

Kleinrock conversou por telefone com o ZDNet de Los Angeles, onde participava da inauguração de um novo centro de pesquisa na UCLA, onde Kleinrock ensina e onde enviou a primeira mensagem na Internet há 50 anos. O “Connection Lab”, como é chamado, examinará a conectividade de todas as formas. Segundo ele, a ideia é verificar desde as redes tradicionais de computadores à IoT até as formas de computação incorporadas que Kleinrock há muitos anos sugeriu que se tornariam a “internet invisível”.

Profecia cumprida?

Pioneiro quer salvar internet dela mesma

Apesar de futurista, mostra como a internet se afastou de seu perfil idealista inicial. A rede global de computadores passou a ser dominada não apenas por maus atores, aqueles que espalham “notícias falsas” ou que assediam nas mídias sociais, mas também por organizações como o Facebook, que têm pouco incentivo para ser transparente na maneira como tratam indivíduos.

Alguns gigantes da Internet não respeitam suas preocupações individuais com a privacidade, disse ele. Quando foi a última vez que o Facebook ou a Amazon perguntaram qual política de privacidade você queria aplicar a você individualmente – apenas você, não você e todos no mundo.

Em vez disso, Kleinrock, Facebook e outras empresas “apresentam a você este documento legal de 50 páginas, com o qual você pode dizer sim ou não”.

Para Kleinrock, esse é o negócio inacabado de reconstruir a internet. Perguntado se ele previu o potencial sombrio da Internet quando estava trabalhando pela primeira vez na teoria das filas no início dos anos 60, ele respondeu: “De jeito nenhum, de jeito nenhum, eu não estava pensando dessa maneira”.

Na terça-feira, Kleinrock escreveu um artigo de opinião no LA Times descrevendo suas preocupações. “Como foi tão errado?” ele pergunta sobre o sistema que ele ajudou a criar. Porém, os detalhes de seu trabalho, dois anos em construção, só estão sendo revelados agora.

Kleinrock juntou-se a um grupo de investidores e tecnólogos para formar uma empresa chamada Sunday Group. O projeto da empresa é chamado “Mobby”, um sistema para permitir que as pessoas estabeleçam sua reputação na Internet de maneira descentralizada. É um pouco como o que aconteceria se as avaliações do Yelp ou as classificações de produtos da Amazon existissem fora desses sites, como propriedade de ninguém, mas como um sistema que validava autenticamente os indivíduos de acordo com seu comportamento.

Bom e mau. Por que a internet ficou tão maniqueísta?

Pioneiro quer salvar internet dela mesma

Em termos gerais, a esperança é criar uma nova moeda virtual apoiada por um novo sistema de blockchain que verifique a reputação das pessoas, como uma maneira de recompensar o bom comportamento e combater o mau comportamento. Este é um tipo de infra-estrutura criada para classificar o que é boa ou má reputação.

A qualidade das pessoas que estão falando na Internet, blogando ou twittando ou o que quer que seja, tem, de certa forma, uma reputação associada a ela, observou Kleinrock. Espero que essa seja uma maneira de separar os loucos das pessoas mais atenciosas.

No coração do que Kleinrock está construindo, a tecnologia a que ele se refere, é uma blockchain baseada no que é conhecido como “prova de reputação”. Em um white paper inicial tornado público quarta-feira, Kleinrock apresenta a teoria e algumas descrições matemáticas iniciais para o blockchain Mobby.

Em resumo, um “sinal de aleatoriedade” injetado no sistema selecionaria regularmente membros da comunidade da Internet em uma loteria para formar comitês temporários. Então, esses comitês seriam criados e dissolvidos constantemente. A associação seria baseada na reputação adquirida dos membros do comitê, mas não inteiramente. Assim, a matemática da loteria também permite que pessoas com menos status sejam escolhidas. Deste modo, garante que os comitês não sejam dominados apenas por aqueles com maior reputação.

Os membros do comitê validam as transações do blockchain. É uma alternativa à tradicional “prova de trabalho”, ou “PoW”, da blockchain Bitcoin, que requer cálculos bastante extensos. Por sua vez, diminui o processamento das transações de Bitcoin.

Prova de reputação daria maior credibilidade?

Ao usar a prova de reputação de Kleinrock em vez de PoW, as transações no blockchain Mobby, ele espera, serão quase instantâneas, tornando o sistema mais apropriado como sistema de transações do que o Bitcoin ou outros sistemas como o Ether.

Minha opinião é que é um sistema de reputação multidimensional”, diz Kleinrock, um sistema em que todas as coisas que um usuário faz, seja um vendedor de itens no eBay ou um músico, são mescladas em uma rede ponderada da reputação coletiva de uma pessoa, que aumenta ou diminui com o tempo com base no comportamento.

É algo como o PageRank trabalhava com o Google, disse ele, referindo-se ao algoritmo usado pelo gigante das buscas para transformar o ranking dos sites. As classificações podem afetar seu representante no seu grupo e, por algumas coisas que você faz, como selecionar listas de reprodução de músicas, você pode ser recompensado com moeda virtual, reflete. 

Como é esse Mobby?

Muitos detalhes de Mobby ainda não foram decididos pelo Sunday Group. Uma distribuição de US $ 210 milhões em moeda Mobby está sendo organizada pela empresa para financiar seus esforços. Portanto, a expectativa é que a moeda Mobby comece a ser negociada em uma bolsa de valores em janeiro de 2020.

Porém, Kleinrock está ciente das questões filosóficas muito profundas que nenhuma infraestrutura pode resolver sozinha.

É o fenômeno das bolhas, as notícias falsas e tudo isso, e como você concilia isso não está claro em minha mente, disse Kleinrock.Você precisa sair da bolha e ver como as outras pessoas a avaliam, afirmou.

Veja a China, com seu sistema de ordem social. Qualquer sistema de reputação pode ser muito menos democrático e perigoso, se for um sistema fechado que usa essa noção de reputação, e eu não tenho uma resposta para isso.

Fonte: ZDNet

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

departamento-dos-eua-suspende-o-uso-de-drones-fabricados-na-china-por-medo-de-espionagem

Departamento dos EUA suspende o uso de drones fabricados na China por medo de espionagem ou ataque cibernético!

facebook-entra-com-acao-contra-o-grupo-nso-que-hackeou-o-whatsapp

Facebook entra com ação contra o grupo NSO que, supostamente, hackeou o WhatsApp!