Notícias

21/10/2021 às 17:00

6 min leitura

Avatar Autor
Por Jardeson Márcio

População argentina têm dados de identidade à venda na darknet

A promoção das vendas aconteceu através de uma conta no Twitter

População argentina têm dados de identidade à venda na darknet

Um banco de dados contendo as informações de identidade de toda a população da Argentina foi hackeado. Uma vez capturados, os dados de identidade de toda a população do argentina foram colocados à venda na darknet.


O site LesNumeriques noticiou o vazamento dos dados e, segundo ele, os hackers conseguiram invadir a rede de computadores do governo argentino e roubar os detalhes das carteiras de identidade de toda a população do país, cerca de 45 milhões de pessoas.

Esse hack, ocorreu no mês passado e, segundo o site, tinha como alvo específico o arquivo Renaper, o cadastro nacional de pessoas do país. Os dados de identidade dos argentinos agora estão à venda na darknet.

populacao-argentina-tem-dados-de-identidade-a-venda-na-darknet

Embora o anúncio esteja atualmente visível em um fórum de hackers, os hackers o promoveram no Twitter por meio de uma conta recém-criada chamada @AnibalLeaks, aponta o LesNumeriques.

Os hackers teriam, inclusive, divulgado dados de “uma pequena amostra de 44 celebridades na rede de microblog, incluindo o astro do futebol Lionel Messi ou o presidente do país, Alberto Fernández”.

Dados dos Argentinos à venda na darknet

populacao-argentina-tem-dados-de-identidade-a-venda-na-darknet
Imagem: Mundo Hackers

Os dados recuperados incluem nomes completos, endereços, datas de nascimento, informações de gênero, emissão da carteira de identidade e datas de validade, número de identificação, fotos. Todas as informações presentes no cadastro de identidade dos argentinos.

O Record, que contatou um dos piratas, conseguiu confirmar a autenticidade das informações. Os dados podem parecer simples e sem muito valor, mas não para os hachers. Com essas informações, os criminosos podem muito bem criar documentos de identidade falsos. Isso renderia uma “dor de cabeça” enorme para quem tivesse seus dados utilizados.

Em um comunicado (Via: LesNumeriques) datado de 13 de outubro, o Ministério do Interior da Argentina disse que sua equipe de segurança descobriu que uma conta VPN atribuída ao Ministério da Saúde foi usada para consultar o banco de dados Renaper por 19 fotos na época. Exatamente onde elas foram postadas no Twitter, e que “o banco de dados não sofreu nenhuma violação ou vazamento de dados”.

No entanto, essa informação é contrariada pelas trocas entre o The Record e o pirata, que de fato teria uma cópia dos dados do Renaper. Portanto, havendo violação de dados dos habitantes daquele país.

Além disso, o hacker também ameaçou divulgar os dados de um a dois milhões de pessoas e vender o acesso aos dados a todos os compradores interessados, o que pode transformar a vida de muitas pessoas em um caos.

Via: LesNumeriques

Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.

Últimos artigos

Newsletter

Receba nossas atualizações!

Newsletter

Receba nossas atualizações!
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.