in

Por que é improvável que usuários do Windows migrem para o Linux?

Segundo especialistas de mercado, isso não deve ocorrer tão cedo.

O Windows 7 chegou ao fim da vida útil. Agora, para receber atualizações deste sistema, só pagando. Porém, sem dúvida, a data marcou um momento importante para a indústria de sistemas operacionais este ano. De acordo com dados fornecidos pela empresa de análise de mercado NetMarketShare, o Windows 7 representou mais de 25% de todo o mercado de PCs em dezembro de 2019. Portanto, isso significa que 1 em cada 4 PCs era alimentado por um sistema operacional cuja morte era iminente.

Ao mesmo tempo, esses números mostram que 25% dos usuários globais de PC precisam enfrentar um enorme dilema: devem seguir o Windows 7, migrar para o Windows 10 ou migrar para o Linux ou macOS?

Não existe uma resposta universal para essa pergunta, e cabe a cada usuário decidir qual caminho seguir. Porém, nas últimas 24 horas, houve um entusiasmo avassalador no mundo Linux, pois muitos esperam que os usuários do Windows migrem em massa para o mundo de código aberto.

Então, por que é improvável que usuários do Windows migrem para o Linux?

Por que é improvável que usuários do Windows migrem para o Linux?

Ubuntu está reformulando seu visual; Linux Lite se preparou para a data, Linux Mint sempre foi visto como o substituto natural. Outras distribuições Linux foram otimizadas especificamente para serem familiares para os usuários do Windows que estão migrando para o Linux. Portanto, não é nenhuma surpresa que seus desenvolvedores veem a morte do Windows 7 como uma grande oportunidade para aumentar sua base de instalação.

Isso não é necessariamente factível, no entanto. O Linux há muito tempo é considerado um rival ou alternativa ao Windows. Portanto, recursos que tornariam a transição mais suave para ex-usuários da Microsoft eram absolutamente obrigatórios. Mas será que o fim do Windows 7 é o suficiente para acreditar que o Linux deve esperar um aporte de novos usuários? De modo nenhum.

Base de usuários

Em primeiro lugar, observe a base de usuários existente do Windows 7 da seguinte maneira: os usuários que ainda a executam fazem isso por um bom motivo. A maioria deles não concorda com o empurrão dado pela Microsoft para que se adote a versão 10 de qualquer maneira. O Windows as a Service, como a empresa de software com sede em Redmond chama, portanto, não empolgou tanta gente assim. Então, permanecer no Windows 7 é a única maneira de manter uma experiência tradicional do Windows.

Em outras palavras, esses usuários querem apenas algo que pareça e seja familiar, sem alterações que eventualmente os forçam a aprender a usar um PC. Assim, esta é possivelmente a principal razão pela qual eles jamais optem por migrar para o Linux.

Vem para o Ubuntu você também

Segundo, há a questão da segurança que os fabricantes de distribuições Linux apostam muito para atrair usuários do Windows. A Canonical, por exemplo, afirma que o Ubuntu está esperando pelo usuários do Windows 7. Assim, segundo a empresa, eles poderiam se beneficiar de segurança extra sem a necessidade de atualizações de hardware.

Entretanto, novamente, os usuários do Windows 7 que ainda estão executando um sistema operacional 2009. Além disso, com o fim do suporte não devem se preocupar muito com segurança. Assim, esses usuários migrarão para o Linux.

Usuários avançados e os que não estão nem aí pra nada

Então, alguns dizem que usuários avançados que executam o Windows 7 têm maior probabilidade de mudar para o Linux. Em geral, os usuários avançados estão realmente mais interessados em explorar o mundo que não é Windows. Contudo, no que diz respeito ao Windows 7, esse não é o caso. Simplesmente porque os usuários avançados não executam mais o Windows 7 e a maioria deles já fez o upgrade para o Windows 10 pois estavam cientes do fim do suporte antes do ocorrido.

Existem usuários do Windows que não se importam com a falta de atualizações e, é claro, existem aqueles que executam o Windows pirateado para jogar e assistir a filmes. Novamente, é improvável que esses usuários migrem para o Linux, simplesmente porque o Windows 7 EOL não traz grandes alterações em seus dispositivos.

Então é isso, ninguém quer migrar?

Se há alguém mais propenso a considerar a mudança para o Linux agora que o Windows 7 não é suportado, são as empresas. Mesmo com a redução dos custos de licenciamento, há o problema de migrar estruturas inteiras para o novo sistema. Sem falar em suporte técnico e treinamento de pessoal.

Portanto, pelos motivos listados acima, fica improvável uma migração em massa do Windows 7 para o Linux, pelo menos por enquanto.

O Linux tem seu próprio lugar no setor de tecnologia e aqueles que o usam têm seus próprios motivos, muitas vezes relacionados à segurança, suporte a hardware mais antigo ou mesmo à comunidade em geral.

Via Softpedia