in

Por que minha distro tem Kernel desatualizado?

Caso seu kernel apareça como tendo vida útil finalizada, não se desespere.

Kernel Linux 5.7 recebe primeira atualização e já pode ser usado em massa

Não está fácil pra ninguém. Nem mesmo pro Kernel Linux. O problema não é nenhuma falha grave ou irreversível. Estamos falando da demora que um kernel atualizado leva para finalmente fazer parte de sua distribuição. Os motivos são muitos. E este artigo tem por objetivo esclarecer por que a distro tem kernel desatualizado, mesmo depois de um longo de tempo. No momento da redação desta matéria, o último Kernel é o 5.4 que traz várias melhorias importantes.

Antes de mais nada, verifique sua versão do Kernel. Rapidamente, vamos mostrar algumas formas de fazer isso. Uma delas é pelo Terminal. Digite o seguinte comando:

uname -r
No meu caso, usando o Fedora 31, o resultado foi o seguinte:
[[email protected] ~]# uname -r
5.3.16-300.fc31.x86_64
Portanto, isso significa que estou usando o Kernel 5.3.16. Aliás, Kernel que já chegou ao fim da vida útil, conforme já falamos. Fim da vida útil significa que um software não terá mais correções e suporte. No entanto, estou correndo algum risco? Continue a leitura e descubra. 
Outra forma de verificar é com o mesmo comando uname, só que desta vez acompanhado de -a. Isso fornecerá mais informações do sistema, se você desejar.
uname -a

Por que minha distro tem Kernel desatualizado?

Por que minha distro tem Kernel desatualizado?

Isso coloca algumas questões válidas. Por que minha distribuição Linux está usando um kernel que atingiu o fim da vida útil? Isso não é um risco à segurança? Meu sistema está seguro?  Por que?

O suporte ao kernel upstream e o suporte ao kernel da sua distribuição são duas coisas diferentes.

Por exemplo, o kernel do Linux 4.15 pode ter chegado ao fim da vida útil (conforme o site oficial do kernel Linux), mas a versão Ubuntu 18.04 LTS o utilizará e manterá até abril de 2023, suportando patches de segurança e correções de bugs.

Verificando a versão do kernel do Linux e encontrando seu status de fim de vida

Após verificar sua versão do Kernel, vá até o site oficial do kernel Linux e ver quais versões do kernel Linux ainda estão sendo suportadas. É exibido na própria página inicial.

Você deve ver um status como este:

Por que minha distro tem Kernel desatualizado?

Se você não vê uma versão do kernel listada na página inicial do site do kernel, significa que a versão específica chegou ao fim da vida útil.

Como você pode ver, o kernel 5.0 não está listado aqui. Indica que esta versão do kernel não está mais sendo suportada. Na verdade, chegou ao fim da vida útil em junho de 2019 .

Infelizmente, o ciclo de vida de um kernel Linux não segue um padrão definido. NÃO é como se uma versão estável do kernel regular fosse suportada por X meses e um kernel LTS (suporte a longo prazo) será suportado por Y anos.

Com base na demanda e nos requisitos, pode haver várias versões do kernel LTS com EOL diferente. Você pode encontrá-los junto com a EOL projetada nesta página.

Sua distribuição usa um kernel EOL Linux, mas tudo bem!

Você já se perguntou por que o Ubuntu, Debian, Fedora etc são chamados de distribuições Linux? É porque eles ‘distribuem’ o kernel do Linux.

Eles têm suas próprias modificações no kernel Linux, adicionam os elementos da GUI (ambiente de desktop, servidor de exibição etc.) e software e os tornam disponíveis para seus usuários.

No fluxo de trabalho típico, uma distribuição Linux escolhe um kernel para fornecer aos seus usuários. E, em seguida, ele se manterá nesse kernel por meses ou anos, mesmo após o término da vida útil do kernel.

Como é seguro então?

É porque a distribuição mantém o kernel suportando todas as correções importantes no seu kernel.

Em outras palavras, sua distribuição Linux garante que o kernel do Linux esteja sempre corrigido. Assim, todos os problemas de bugs e novos recursos importantes são portados para ele. Haverá milhares de alterações em cima do ‘antigo kernel Linux desatualizado.

Quando o site do kernel Linux diz que uma certa versão do kernel atingiu a EOL, isso significa que os mantenedores principais do kernel não vão mais atualizar ou corrigir essa versão.

Porém, ao mesmo tempo, os desenvolvedores do Debian e Ubuntu ou de outras distribuições trabalham para manter viva a mesma versão antiga, trazendo as alterações relevantes das versões mais recentes do kernel (sendo mantidas pela equipe principal do núcleo) para o kernel antigo da sua distribuição.

Resumindo, mesmo que pareça que sua distribuição esteja usando um kernel Linux desatualizado, ela está sendo bem mantida e não está desatualizada.

Você deve usar a versão estável mais recente do kernel?

Uma nova versão estável do kernel Linux é lançada a cada 2-3 meses. Não precisa se desesperar ou sair atualizando imediatamente já que sua distro se responsabiliza pela versão.

Tampouco adiante digitar um comando no Terminal em busca de uma mágica. Não existem os comandos

sudo apt-get install novo kernel

ou

 dnf install refresh kernel

Além disso, instalar manualmente a versão principal do kernel Linux pode ser um desafio por si só. Mesmo se você conseguir instalá-lo, agora é sua responsabilidade garantir que esse kernel seja atualizado toda vez que houver uma correção de bug. E quando esse novo kernel chegar ao fim da vida útil, será de sua responsabilidade atualizar para a versão mais recente do kernel. Não será tratado com a atualização do apt como atualizações regulares do Ubuntu.

Você também deve ter em mente que sua distribuição possui drivers e patches que talvez você não consiga usar se mudar para o kernel da linha principal.

Como Greg Kroah-Hartman coloca, “o melhor kernel que você pode usar é aquele que outra pessoa suporta”. E quem pode ser melhor nesse trabalho do que na sua distribuição Linux!

Espero que você entenda melhor esse tópico e não entre em pânico na próxima vez que descobrir que a versão do kernel que seu sistema está usando chegou ao fim da vida útil.

Fonte: It’s Foss

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.