in

Quais as profissões do futuro? Detalhe: ele já chegou.

Robótica, internet, programação. O mundo anda num ritmo alucinante.

Quais as profissões do futuro? Detalhe: ele já chegou.

Um estudo feito por especialistas de mercado na década de 1980 traçou um panorama  de quais profissões estariam em voga 40 anos depois. Ou seja, estamos no prazo dado por esses estudiosos. Futurologia, Adivinhação? Nem uma coisa, nem outra. São previsões baseadas na tecnologia e na expectativa desses profissionais em relação ao assunto. 

Já naquela época, recordemos, estávamos em plena Guerra Fria, entre Estados Unidos e a então União Soviética. O processo de  globalização começava a se intensificar. E tudo graças principalmente à tecnologia. Com uma maior integração e aproximação dos mercados, começamos a ver também os primeiros efeitos da internet neste processo.

Redução da mão de obra braçal, uso de novas tecnologias nas indústrias. Isso era visto como ameaça ao futuro do emprego e da própria sobrevivência de gerações. Aquecimento global, aumento dos desmatamentos, extinção de espécies. Tudo apontava para o apocalipse.

Paradoxalmente, havia um lado otimista nisso tudo, que acreditava no progresso tecnológico como forma de melhorar a vida de todos que habitam este planeta. Surgem ideias de crescimento sustentado, preservação, maior igualdade entre ricos e pobres.

40 anos de transformações

Portanto, a partir daquele momento, em 1980, teríamos anos de ouro para uma transformação profunda da sociedade. Afinal, neste período, as novas tecnologias libertariam ou aprisionariam? Destruiriam ou construiriam? Daria voz a quem não tem ou concentraria um grande oligopólio mundial da comunicação?

Afinal, passado todo este tempo de mudanças rápidas e profundas, em que era estamos a viver? É preciso ver tudo didaticamente. Assim, temos este infográfico do cassino online Betway para vermos até que ponto acertamos ou erramos. Mais do que mera futurologia, são dados essenciais para que possamos traçar caminhos ainda mais sólidos daqui em diante.

Uma das previsões que faz parte de uma publicação da revista norte-americana Wired mostra que agora em 2020 deveríamos já começar a habitar o planeta vermelho, Marte. Apesar de sondas, imagens, estudos, isso ainda não se concretizou. A conquista do espaço, assim como as “descobertas” de novos mudos, teria o apoio de várias nações.

Parece que foi ontem. E muitas vezes foi mesmo, tamanha a velocidade com que tudo acontece. De uma forma tão alucinante que fica difícil acompanhar os acontecimentos. O tempo passa, tudo avança e sequer percebemos.

É um outro mundo, uma nova era. São transformações sociais, econômicas e políticas em um ritmo jamais experimentado, o que dificulta a total compreensão do processo. Fica difícil escolher até entre o certo e o errado. Afinal, nem tudo é somente bom ou mau. O discernimento se torna difícil.

Está tudo muito digitalizado, disruptivo, desmonetizado, desmaterializado e democratizado. Robótica, inteligência artifical e os softwares estão a eliminar os trabalhos tradicionais, sobretudo os mais comuns. Surgem sistemas operacionais ao mesmo tempo complexos e acessíveis. Afinal, o Linux está aí para qualquer um que se dispuser a usá-lo. Nesta seara, o crescimento também tem sido vertiginoso. Internet das Coisas, Cibersegurança, vigilância par e passo dos cidadãos.

Para o bem e para o mal. A ficção torna-se real. E esperamos que em vez de sombrio, o futuro seja cada vez mais brilhante. Com a tecnologia aliada do progresso e do bem estar de todos.

Escrito por Redação SempreUpdate

Os artigos vinculados à este usuário são de terceiros. A informação aqui contida não foi elaborada originalmente por nós do SempreUpdate. Mas, publicamos conforme solicitação, envio ou recomendações do próprio autor, assessoria e outros departamentos comerciais ou não comerciais.

Jack Dorsey diz que o Twitter provavelmente não receberá um botão de edição

Jack Dorsey diz que o Twitter provavelmente não receberá um botão de edição

Líder do Peppermint OS morre mas projeto continua

Líder do Peppermint OS morre mas projeto continua