in

Richard Stallman tem pensamentos estranhos sobre pedofilia

São declarações polêmicas ao longo dos anos que não têm espaço em um mundo cada vez mais politicamente correto.

Richard Stallman tem pensamentos estranhos sobre pedofilia

O mundo acadêmico está perturbado com a descoberta chocante que o desonrado financiador Jeffrey Epstein financiou vários laboratórios de pesquisa de ciência e tecnologia de prestígio, incluindo o Media Lab do MIT, muito depois de sua condenação em 2008 por crimes sexuais envolvendo crianças.

Para o falecido Epstein, suas generosas doações serviram para melhorar a má reputação. Eles faziam parte de um esforço de relações públicas bem esculpido que também incluía peças pagas em publicações como Forbes e HuffPost, que enfatizavam sua filantropia, enquanto ignoravam convenientemente seus crimes.

Epstein acreditava que, ao jogar maços de dinheiro nas universidades, as pessoas poderiam esquecer as centenas de garotas exploradas e brutalizadas (na verdade, eram crianças). E na maioria das vezes, eles fizeram. Foi com uma investigação do Miami Herald que seu mundo começou a desmoronar, resultando em suicídio em uma cela de prisão em Manhattan.

Porém, sua proximidade com a comunidade científica não era exclusivamente cosmética. Ele também teria “fornecido” crianças a pesquisadores e acadêmicos para explorar sexualmente. Uma vítima alega que foi traficada por Epstein para o falecido professor do MIT Marvin Minsky, que faleceu em 2015 aos 88 anos.

Os estudantes do MIT estão planejando um protesto contra o relacionamento de longa data da instituição com Epstein. No entanto, para Richard Stallman, herói do movimento do software livre, isso desonra a memória de Marvin Minsky, que foi fundamental no desenvolvimento da inteligência artificial.

O ponto de vista de Richard Stallman: ele tem pensamentos estranhos sobre pedofilia

Richard Stallman tem pensamentos estranhos sobre pedofilia
Richard Stallman

Acho que ninguém duvida da contribuição de Richard Stallman para o campo da ciência da computação. Durante sua longa carreira, ele é apaixonado por software livre e desenvolveu vários componentes que são a base de como as pessoas desenvolvem software, incluindo o compilador GCC e o editor de texto EMACS.

Seu julgamento, por outro lado, está aberto à discussão. Aqui está um e-mail que ele enviou à lista de discussão do MIT CSAIL sobre a demonstração mencionada:

O anúncio do evento de sexta-feira faz uma injustiça a Marvin Minsky: ‘falecido pioneiro da IA” Marvin Minsky (que é acusado de agredir uma das vítimas de Epstein [2])’

A injustiça está na palavra “agredir”. O termo “agressão sexual” é tão vago e escorregadio que facilita a enxurrada de acusações: alegando que alguém fez X e levando as pessoas a pensarem nele como Y, que é muito pior que X.

A acusação citada é um exemplo claro de inflação. A referência relata a alegação de que Minsky fez sexo com um dos haréns de Epstein. (Consulte https://www.theverge.com/2019/8/9/20798900/marvin-minsky-jeffrey-epstein-sex-trafficking-island-court-records-unsealed.)

Vamos presumir que isso seja verdade (não vejo razão para desacreditar). A palavra “agressão” pressupõe que ele aplicou força ou violência, de alguma maneira não especificada, mas o próprio artigo não diz isso. Só que eles fizeram sexo.

Podemos imaginar muitos cenários, mas o mais plausível é que ela se apresentou a ele de livre e espontânea vontade. Supondo que ela estivesse sendo coagida por Epstein, ele teria todos os motivos para dizer a ela para esconder isso da maioria de seus associados.

Concluí a partir de vários exemplos de acusações que é absolutamente errado usar o termo “agressão sexual” em uma acusação. Qualquer que seja a conduta que você queira criticar, descreva-a com um termo específico que evite imprecisão moral sobre a natureza da crítica.

Stallman afirma que não acredita na acusação feita contra Minsky. No entanto, ele discorda da aplicação do termo “agressão sexual”, teorizando que a vítima “se apresentou a ele como inteiramente disposta”.

Há um problema com isso. Em primeiro lugar, se alguém está sendo coagido a fornecer serviços sexuais através de ameaças, intimidação e violência, não pode consentir, por mais que deseje “parecer”.

Segundo: na época, a vítima, Virginia Giuffre, supostamente fez sexo com Minsky, tinha 17 anos. A idade de consentimento nas Ilhas Virgens Americanas, onde o incidente ocorreu, é de dezoito anos.

Existe um termo para isso. Estupro estatutário.

Richard Stallman e os pensamentos estranhos sobre pedofilia

Não há dúvida de que Stallman é muito talentoso tecnicamente. Contudo, ele também é uma figura profundamente polêmica, que expressou muitas visões controversas sobre esse mesmo problema. Eis o que ele escreveu em 2006 depois de saber sobre a formação de um partido político pró-pedofilia na Holanda.

Sou cético em relação à alegação de que a pedofilia voluntariamente prejudica crianças. Os argumentos de que isso causa dano parecem basear-se em casos que não são voluntários, que são estendidos por pais que ficam horrorizados com a idéia de que seu bebê está amadurecendo.

Novamente, em 2013, ele repetiu opiniões semelhantes:

Há poucas evidências para justificar a suposição generalizada de que a participação voluntária na pedofilia prejudica as crianças. É verdade que as crianças podem não ousar dizer não a um parente mais velho, ou podem não perceber que podem dizer não; nesse caso, mesmo que não rejeitem abertamente, o relacionamento ainda pode parecer imposto a eles. Isso não é participação voluntária, é participação imposta, uma questão diferente.

Antes de prosseguir, quero afirmar que o próprio Stallman não foi condenado por um crime envolvendo a exploração sexual de menores, e não há qualquer acusação de tal impropriedade. Se ele é culpado de alguma coisa, é por ter algumas opiniões extremamente questionáveis.

E essas opiniões são importantes exatamente por causa do respeito que Stallman impõe. A pedofilia nunca deve ser normalizada. Ever .

Do ponto de vista de alguém que se preocupa com a tecnologia, as visões de Stallman minam o progresso do software livre. Além disso, enterram sua reputação em alguns setores podendo ser tachado, no mínimo, de esquisito posicionamento.

Como alguém que se preocupa com as pessoas que trabalham em tecnologia, as visões de Stallman podem contribuir para que pessoas talentosas deixem o espaço. E como alguém que se preocupa com crianças, a normalização da pedofilia cria enormes problemas de proteção.

O perigo do idiota talentoso

Então, acho que há pontos importantes levantados no textoi.

A primeira é uma discussão há muito esperada sobre como a ciência é financiada e como a pesquisa pode ser sequestrada por terceiros que desejam retocar sua imagem pública. Como vimos com Epstein, os administradores famintos por dinheiro ficaram muito felizes em fechar os olhos para casos comprovados de abuso sexual.

A segunda é se o mundo da tecnologia continuará a tolerar os chamados “empurrões brilhantes”. O próprio Stallman é inegavelmente um visionário talentoso tecnicamente. Mas ele também é alguém com reputação controversa. Rudeza, até.

Existem muitos exemplos para citar, mas aqui está um que é excepcionalmente digno de nota. Em 1993, quando alguém anunciou o nascimento de seu filho em uma lista de discussão, ele respondeu:

As pessoas poderiam não usar esta lista para anunciar informações de nenhum interesse particular para as pessoas da lista? Centenas de milhares de bebês nascem todos os dias. Embora todo o fenômeno seja ameaçador, um deles por si só não é digno de notícia. Nem é uma conquista difícil – até alguns peixes conseguem.

As pessoas aparentemente se contentavam em tolerar o comportamento de Stallman porque ele é claramente muito talentoso. Porém, os tempos mudam. E o que antes era aceitável deixou de ser. Agora, a inteligência emocional é tão importante quanto a aptidão técnica. Portanto, Richard Stallman tem pensamentos estranhos sobre pedofilia que estão fora da realidade.

À medida que o espaço tecnológico se torna mais colaborativo e diversificado, inevitavelmente haverá menos espaço para pessoas como Stallman. E por mais que me doa dizer, talvez seja melhor assim.

Artigo original de  para o site The Next Web.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Falhas no Wireshark podem ser exploradas remotamente para bloquear o sistema

Falhas no Wireshark podem ser exploradas remotamente para bloquear o sistema

Richard Stallman renuncia ao cargo de presidente da Free Software Foundation

Richard Stallman renuncia ao cargo de presidente da Free Software Foundation