Rússia pede que Google acabe com o que chama de desinformação sobre invasão à Ucrânia

Jardeson Márcio
3 minutos de leitura

O Roskomnadzor, órgão fiscalizador de telecomunicações da Rússia, pediu ao Google que pare de divulgar campanhas publicitárias desinformadas sobre a invasão russa da Ucrânia em vídeos do YouTube.

De acordo com o órgão de vigilância de telecomunicações russo, anúncios on-line com conteúdo impreciso e sem rótulos de idade estão sendo usados ??para divulgar informações falsas sobre a “operação especial” do Exército russo na Ucrânia.

Órgão fiscalizador de telecomunicações da Rússia pede ao Google que intervenha nos vídeos

Roskomnadzor enviou uma carta ao Google LLC, responsável pelas atividades publicitárias do Google na Rússia, com a exigência de parar imediatamente de divulgar informações falsas de natureza política sobre a operação especial das Forças Armadas Russas na Ucrânia no território da Rússia.

De acordo com o órgão, as mensagens publicitárias são mostradas aos usuários russos do site de hospedagem de vídeos YouTube e “contêm informações erradas destinadas a formar uma percepção distorcida dos eventos que estão ocorrendo e criar sentimentos de protesto entre o público russo da Internet”.

A agência considera inaceitável usar o YouTube na guerra de informações contra a Rússia, inclusive usando os recursos de publicidade da plataforma. O Roskomnadzor também notificou os meios de comunicação russos independentes em 26 de fevereiro (por exemplo, Ekho Moskvy, InoSMI, Mediazona, New Times, Dozhd, Svobodnaya Pressa, Krym. Realii, Novaya Gazeta, Journalist e Lenizdatnot) para não divulgar informações falsas sobre o bombardeio de cidades ucranianas, além de chamar a “operação em andamento” de ataque, invasão ou declaração de guerra.

A Rússia quer introduzir uma nova lei que puniria a divulgação de notícias falsas sobre as operações militares das Forças Armadas russas na Ucrânia com até 15 anos de prisão.

Google trabalhando para acabar com a desinformação

russia-pede-que-google-acabe-com-o-que-chama-de-desinformacao-sobre-invasao-a-ucrania

O Google já tomou medidas para impedir a desinformação, derrubou campanhas de desinformação sobre a invasão da Rússia e bloqueou canais do YouTube pertencentes ao Russia Today (RT) e Sputnik em toda a Europa a pedido das autoridades da União Europeia. Roskomnadzor protestou contra a decisão do YouTube, exigindo a remoção imediata de todas as restrições de acesso às contas oficiais da mídia russa (incluindo RT e Sputnik) na Europa.

De acordo com o BleepingComputer, anteriormente, o Google também desmonetizou a mídia financiada pelo Estado russo em todas as suas plataformas, uma medida que também os impede de executar campanhas publicitárias.

O YouTube também removeu centenas de canais com milhares de vídeos que violam suas Diretrizes da comunidade, incluindo canais envolvidos em práticas enganosas coordenadas. Por enquanto, o Google diz que a maioria de seus serviços, incluindo Search, YouTube e Maps, ainda estão disponíveis na Rússia para fornecer aos russos acesso a informações e perspectivas globais.

Via: BleepingComputer

Share This Article
Follow:
Jardeson é Mestre em Tecnologia Agroalimentar e Licenciado em Ciências Agrária pela Universidade Federal da Paraíba. Entusiasta no mundo tecnológico, gosta de arquitetura e design gráfico. Economia, tecnologia e atualidade são focos de suas leituras diárias. Acredita que seu dia pode ser salvo por um vídeo engraçado.