in

Trump prometeu perdoar Assange

Se ele negasse a ligação de Trump com os russos.

Julian Assange (WikiLeaks) é acusado de conspirar com hackers do Anonymous
O Departamento de Justiça está tentando esclarecer que as acusações são mais do que apenas relatar e publicar material vazado.

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu perdoar Julian Assange se ele dissesse que a Rússia não estava envolvida no vazamento de e-mails do partido Democrata, segundo um tribunal em Londres.

Trump prometeu perdoar Assange

A alegação extraordinária foi feita no tribunal de Westminster antes da abertura da próxima semana da batalha legal de Assange para bloquear tentativas de extraditá-lo para os EUA, onde ele é acusado de publicar documentos hackeados. Para ser justo, a alegação foi feita por Assange e foi negada por um ex-congressista republicano nomeado pela equipe jurídica de Assange como testemunha chave.

Os advogados de Assange alegaram que, durante uma visita a Londres em agosto de 2017, o congressista Dana Rohrabacher contatou o fundador do WikiLeaks. Eles dizem que “por instruções do presidente, ele estava oferecendo um perdão ou outra saída, se o sr. Assange… dissesse que a Rússia não tinha nada a ver com os vazamentos no DNC [Comitê Nacional Democrata]”.

No entanto, poucas horas depois, Rohrabacher negou a alegação. Ele disse que havia feito a proposta por sua própria iniciativa e que a Casa Branca não a havia endossado.

Rohrabacher se pronuncia

O ex-congressista escreveu em seu blog pessoal:

Em nenhum momento eu conversei com o presidente Trump sobre Julian Assange. Da mesma forma, eu não fui direcionado por Trump ou por qualquer outra pessoa ligada a ele para se encontrar com Julian Assange. Eu estava em minha própria missão de investigação de fatos, às custas pessoais, para descobrir as informações que considerava importantes para o nosso país.

Em nenhum momento eu ofereci a Julian Assange qualquer coisa do presidente, porque não havia conversado com o presidente sobre esse assunto. No entanto, ao falar com Julian Assange, eu disse a ele que, se ele pudesse me fornecer informações e evidências sobre quem realmente lhe enviou os e-mails do DNC, eu pediria ao presidente Trump que o perdoasse.

Em nenhum momento eu ofereci um acordo feito pelo presidente, nem disse que estava representando o presidente.

Trump prometeu perdoar Assange
Até ser afastado do cargo em 2018, Rohrabacher era uma voz consistente no Congresso em defesa da Rússia de Vladimir Putin. Imagem: Reprodução | Tech Spot.

Casa Branca se pronuncia

A porta-voz da Casa Branca, Stephanie Grisham, disse a repórteres:

O presidente mal conhece Dana Rohrabacher, além de ser um ex-congressista. Ele nunca falou com ele sobre esse assunto ou quase qualquer assunto.

Isso é um pouco estranho, porque Trump convidou Rohrabacher para a Casa Branca em abril de 2017, depois de ver o então congressista na Fox TV defendendo o presidente.

Assange apareceu no tribunal na quarta-feira por um videolink da prisão de Belmarsh, vestindo calça escura e um suéter marrom por cima de uma camisa branca.

Por fim, antes da negação de Rohrabacher, a juíza Vanessa Baraitser, que está ouvindo o caso em Westminster, disse que a alegação de um acordo era admissível como prova.

Até ser afastado do cargo em 2018, Rohrabacher era uma voz consistente no Congresso em defesa da Rússia de Vladimir Putin. Ele alegava estar tão perto do líder russo que eles haviam se envolvido em uma luta bêbada de queda de braço na década de 1990. Além disso, em 2012, o FBI avisou que espiões russos estavam tentando recrutá-lo como um “agente de influência”.

Fonte: Fudzilla

Escrito por Leonardo Santana

Profissional da área de manutenção e redes, astrônomo amador, eletrotécnico e apaixonado por TI desde o século passado.

Google remove 600 aplicativos Android

Google remove 600 aplicativos Android

Os 10 principais softwares de código aberto

Os 10 principais softwares de código aberto