in

Twitter rotula os tweets de Trump como ‘potencialmente enganosos’ pela primeira vez

É a primeira vez que a plataforma checa o presidente.

China tem uma lista negra que pode ser usada para punir empresas de tecnologia americanas
A China está esperando para ver quem ganha as eleições antes de embarcar em uma campanha de inclusão de empresas americanas na lista negra. Imagem: Evan Vucci | AP.

O Twitter rotulou dois tweets do presidente Donald Trump como “potencialmente enganosos”. O rótulo foi imposto a dois tweets que Trump postou na manhã de terça-feira alegando falsamente que “as cédulas por correio serão substancialmente fraudulentas” e resultariam em “uma eleição fraudulenta”. Os tweets se concentraram principalmente nos esforços da Califórnia para expandir a votação por correio devido à nova pandemia de coronavírus.

Quando um usuário vê os tweets de Trump, um link do Twitter é anexado a eles: “Conheça os fatos sobre as cédulas por correio”. O link leva a uma coleção de tweets e artigos de notícias desmerecendo as declarações do presidente.

Um porta-voz do Twitter disse que a medida está de acordo com uma nova política introduzida no início deste mês com o objetivo de limitar “a disseminação de conteúdo potencialmente prejudicial e enganoso” relacionado à pandemia. Essa mesma política não se aplica aos tweets do presidente no início deste mês, afirmando falsamente que a hidroxicloroquina provou tratar efetivamente a COVID-19.

Twitter rotula os tweets de Trump como ‘potencialmente enganosos’ pela primeira vez

No topo da página de verificação de fatos, o Twitter escreve:

Trump alegou falsamente que as cédulas por correspondência levariam a ‘uma eleição fraudulenta’. No entanto, os verificadores de fatos dizem que não há evidências de que as cédulas por correio estejam vinculadas a fraudes dos eleitores.

Twitter rotula os tweets de Trump como 'potencialmente enganosos' pela primeira vez
O Twitter rotulou dois tweets do presidente Donald Trump como “potencialmente enganosos”. Imagem: James Martin | CNET.

Brad Parscale, gerente de campanha de Trump, respondeu à decisão do Twitter em um comunicado:

A parceria com a mídia de notícias falsas ‘verificadores de fatos’ é apenas uma cortina de fumaça que o Twitter está usando para tentar dar às suas táticas políticas óbvias alguma credibilidade falsa.

Por fim, Trump respondeu no Twitter, dizendo que a empresa está “agora interferindo nas eleições presidenciais de 2020”.

Fonte: The Verge

Principal fabricante de chips chinês está na lista negra do governo dos EUA

Samsung desenvolve novo chip de segurança para smartphones

Exclusão digital fica evidente na pandemia

Exclusão digital fica evidente na pandemia