in

União Europeia abre uma investigação em larga escala sobre a aquisição da Fitbit pelo Google

A comissão acredita que os dados dos dispositivos da Fitbit parecem ser uma vantagem do Google.

União Europeia abre uma investigação em larga escala sobre a aquisição da Fitbit pelo Google
Imagem: Fitbit.

A União Europeia abriu uma investigação em larga escala sobre a compra da Fitbit pelo Google. A Comissão Europeia está avaliando a compra com base em preocupações de que o Google possa usar dados de usuários do Fitbit para desenvolver seu negócio de publicidade já formidável.

A comissão acredita que os dados coletados dos dispositivos vestíveis da Fitbit parecem ser uma vantagem que os rivais do Google nunca seriam capazes de competir se a empresa escolhesse integrar esses dados.

A vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, disse:

Esses dados fornecem informações importantes sobre a vida e a situação de saúde dos usuários desses dispositivos. Nossa investigação visa garantir que o controle do Google sobre os dados coletados por meio de dispositivos portáteis […] não distorça a concorrência.

União Europeia abre uma investigação em larga escala sobre a aquisição da Fitbit pelo Google

Todavia, o Google não vê dessa maneira e diz que comprou a Fitbit para impulsionar um negócio: seu inexistente negócio de hardware para wearables. Por exemplo, Rick Osterloh, vice-presidente sênior de dispositivos e serviços do Google, disse:

Há uma concorrência vibrante quando se trata de relógios inteligentes e rastreadores fitness, com Apple, Samsung, […] Xiaomi e muitos outros que oferecem vários produtos a preços variados. Atualmente, não fabricamos nem vendemos dispositivos portáteis como esses. Acreditamos que a combinação dos esforços […] aumentará a concorrência no setor, tornando a próxima geração de dispositivos melhor e mais acessível.

União Europeia abre uma investigação em larga escala sobre a aquisição da Fitbit pelo Google
A União Europeia acredita que os dados coletados dos dispositivos vestíveis da Fitbit parecem ser uma vantagem.

Ao investigar a promessa do Google de não usar dados para anúncios, a comissão observou que a promessa era “insuficiente [para] descartar claramente as sérias dúvidas identificadas nesta fase quanto aos efeitos da transação”.

Ao mesmo tempo, é difícil ver o Google fazendo algo para interferir nos dispositivos Samsung sem danificar seriamente o relacionamento com a fabricante. Por outro lado, é isso que a comissão pretende analisar. A investigação durará até 9 de dezembro de 2020. Como resultado, a fusão permanecerá em espera.

Fonte: Android Central

Google está adquirindo a empresa Fitbit

Vulnerabilidades afetam milhões de dispositivos com Bluetooth LE

Pesquisadores descobriram um novo bug do Bluetooth

Google, Amazon e WhatsApp são as marcas mais imitadas para realizar ataques de phishing