in

Você sabia que existem várias pragas humanas para o GNU/Linux? Não? Confira!

Você já foi ou é vítima de pragas humanas em sua vida? Saiba que elas existem até mesmo no nosso mundo GNU/Linux!

Você sabia que existem várias pragas humanas para o GNU-Linux

Se você se espantou com o título, saiba que isso não é uma postagem isca. Mas uma realidade, sabemos que vulnerabilidades para o nosso GNU/Linux existem, mas são rapidamente corrigidas ou até mesmo possui difícil índice de contaminação.

Só que, a nossa praga virtual são humanas, e não tem nada a ver com o famoso BIOS (Bicho Ignorante Operando o Sistema) que servem para acabar com qualquer projeto GNU/Linux.

Sim, eles existem e precisam ser controlados pelos líderes das comunidades, ou elas vão fechar, acabar, ter um fim. No Brasil, isso é comum, quando não se tem o que dizer, os projetos são perseguidos até sugarem as energias do líder ou do fundador.

Quem nunca leu nada como críticas ao Ubuntu e a forma como a Canonical conduz, Debian que reclamam que seus pacotes são velhos e que a distribuição não presta, LibreOffice que agora esta ficando parecido com o Microsoft Office e tantos outros blah blah, sendo que por outro lado, não existem só duas opções de distribuições, aplicativos ou até mesmo grupos de tecnologia.

E um exemplo mais próximo, o Kurumin, onde o seu idealizador foi tão criticado recebendo comparações com outras distribuições que chegou o fim do projeto com a alegação que algo melhor surgiu.

Quem acompanhou o projeto sabe do que estou falando, mas o líder foi muito simples, sucinto, disse apenas que algo melhor apareceu, neste caso segundo ele, o Ubuntu. Mas, vamos filosofar um pouco: A inveja é a vontade de ser o que não se tem competência, e alegar que quem tem não merece ter. Invejar é afirmar as mediocridades presentes em nossa alma.

Mais um exemplo? Vamos lá! Pois é, então hoje eu resolvi criar um texto contando os vermes do mundo GNU/Linux, e acho que os nomes vão cair bem, e você deve ter visto algo parecido como as histórias acima. Como aconteceu com o Kurumin ng e com o Ubuntu Dicas, Linux Mint, um desabafo, vamos então classificar os vermes que vivem atacando projetos tão bacanas?

  • Verme Keylogger – É aquele usuário do GNU/Linux que somente observa o que você faz e no primeiro deslize seu, seja um erro no texto ou alguma coisa que tenha dado errado cai matando em cima de você, mas o intuito não é ajudar, ele só quer mesmo te monitorar.
  • Verme Adware – É aquele que quer mostrar que sabe mais que você, e acaba postando mensagem dizendo que é isso ou aquilo, um verdadeiro mini currículo, fazendo uma verdadeira propaganda de si mesmo, geralmente por necessidade de auto reconhecimento que no mínimo nunca ocorreu.
  • Verme Spyware – É aquele que rastreia além do seu trabalho, a sua vida pessoal, e fica ali esperando qualquer brecha sua para fazer algo bem constrangedor, inclusive agressões verbais.
  • Verme Trojan – Aquele que vai testar o seu projeto em busca de falhas e quando encontrar, vai classificar para o mundo inteiro ver que não presta, que é uma porcaria, e claro, usando centenas de outros adjetivos pejorativos, só que ele não envia nada para você, ele prefere queimar o seu projeto na web, do que ajudar você a corrigir.
  • Verme Worm – É aquele que tem poder de manipular a mente das pessoas, geralmente vive em grupos onde ele é o líder, então ele contamina geral, e todo mundo faz parte de algo como “Maria vai com as outras”, mesmo sem saber do que se trata as pessoas endossam o que ele diz, basicamente um hater que ganhou seguidores.
  • Verme Hijacker – É aquele que passa horas olhando a página web do seu projeto, vive dando F5, alguns gostam de testar o seu servidor, inclusive gerando negação de serviço.
  • Verme Rootkit – É aquele que se camufla, entra para o projeto para saber como é que funciona, e tenta fazer um igual, o problema é que quando ele vê que o 42 que dá no seu pé, não dá no dele, ele fica furioso. Geralmente se esconde atrás de proxy, cria perfil falso nas redes sociais e são altamente criativos.
  • Verme de Boot – É aquele que quando descobre que um projeto esta iniciando, corre para ajudar a afundar logo, imagina que todo projeto criado no Brasil não presta, e que os bons mesmos são os gringos.
  • Verme Zumbi – É aquele que vai pela cabeça de todos os outros vermes que citei acima, e acaba não fazendo nada por nenhum projeto, acho até que este seja a maior quantidade atualmente no Brasil. Os Zumbis também adoram exigir, mas detestam contribuir, fazer alguma coisa. Esse não tem tempo, esta sempre com muito trabalho, mas de alguma maneira encontra tempo, muitas horas, para enviar e-mails descabidos e não fazer nada.

Viram que sim? Que existem vermes para GNU/Linux?! Se você estiver sendo vítima de algum destes vermes, lembre-se:

O circo só pega fogo quando você dá confiança ao palhaço!

Written by Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

Saiba as principais linguagens de programação utilizadas em blockchain

Saiba as principais linguagens de programação utilizadas em blockchain

Linux Exton: Uma Distribuição baseada no Ubuntu 19.04 e usa o ambiente Budgie!