in

A nação Facebook: além de moeda própria, também terá um “STF”

O que será que o Facebook está aprontando dessa vez?

Não é de hoje que sabemos que estamos sob forte influência de Mark Zuckerberg e seus sócios. Seja no Instagram, Whatsapp ou Facebook estamos inseridos em um ecossistema de interação que nos habitua e faz com que nos sentamos tão familiarizados com isso. Assim, não é incomum ver comentários do tipo “não vivo mais sem” e observar histeria quando um desses serviços é bloqueado. Basta lembrar quando o Whatsapp foi suspenso pela Justiça por se recusar a quebrar a segurança e dar informações de suspeitos para a polícia. É o que pretendemos discutir no post: A nação Facebook: além de moeda própria, também terá um “STF”.

Já presenciamos os mais variados escândalos que vão desde manipulação social, controle ideológico, venda de dados até problemas de segurança. Sendo assim, considero o esforço para se criar uma moeda virtual e esse “STF” um tanto quanto interessante e emblemática visto a fama nada amigável que tomou forma em volta do facebook.

Sobre o grupo

A nação Facebook: além de moeda própria, também terá um "STF"

Embora não tenha sido nomeado como “STF” ou similar, o grupo será responsável por supervisionar as decisões da moderação do Facebook, se atendo apenas a casos que forem considerados mais importantes e controversas.

Composto por 40 integrantes independentes da estrutura tradicional de moderação, mesmo ainda não revelando quem serão, o Facebook garante que será um grupo composto por integrantes com diferentes especialidades, origens e opiniões que possam representar os anseios e interesses da comunidade.

O que podemos esperar?

Atualmente temos mais perguntas do que resposta sobre o tema. O Facebook já anunciou que o poder deste grupo será limitado, deixando claro que políticas já vigentes a respeito de noticias falsas, publicidade, AI, ou ranking de feed não estarão sob a tutela deste conselho. Como é um projeto relativamente recente muito pouco ainda foi estabelecido. O bom é que teremos notícias em breve, logo em agosto, segundo a companhia. Caso queira saber um pouco mais, clique aqui e veja o relatório (em inglês).

Será que estamos mais perto de um cenário distópico parecido com 1984 do que imaginamos?

O futuro é logo ali.