in

Após multa bilionária, Android pode ser pago

O Google foi multado em 4,3 bi de euros por forçar instalação de apps no Android e já ameaça que o Android poderá ser pago no futuro!

Android pode ser pago

Após a multa de 4,3 bilhões ser aplicada ao Google por forçar instalação de Apps no Android, gerando o entendimento de monopólio pela União Europeia, o Google deixou nas entrelinhas o entendimento de que em breve o Android poderá ser cobrado aos fabricantes de dispositivos que o utilizam como sistema.

Para quem não sabe, o Android possui o código aberto e qualquer empresa pode pegar este código, realizar suas modificações e distribuir, no entanto, para afirmar que o seu sistema modificado é Android é preciso seguir algumas diretrizes determinadas pelo Google, e uma delas é pré-instalar os aplicativos da empresa, especialmente a Play Store, que possuem licença gratuita e sem custo algum a estes fabricantes que seguem este acordo.

Mas, como nada é de graça 100%, o único meio de não gerar cobranças aos fabricantes e evitar que este custo seja repassado ao consumidor final, estes aplicativos devem ser instalado em cada sistema distribuído, essa é a única forma que o Google encontrou de monetizar o Android para que possa arcar com a equipe de desenvolvimento e outros profissionais, além das estruturas usadas pelo sistema.

O CEO do Google, Sundar Pichai, disse que é fácil apagar os aplicativos pré-instalado e que essa condição de manter os aplicativos ali é apenas para os fabricantes, o usuário final pode removê-los sem nenhum problema.

Sobre as entrelinhas, fica claro que os aplicativos é o que banco o Android, sem eles certamente alguma coisa deve ser cobradas dos fabricantes. Muita coisa ainda vai rolar durante este tempo, o Google deve recorrer a União Europeia, e a partir daí vamos ver o que vai dar. Por hora, nada foi alterado.

Escrito por Emanuel Negromonte

Fundador do SempreUPdate. Acredita no poder do trabalho colaborativo, no GNU/Linux, Software livre e código aberto. É possível tornar tudo mais simples quando trabalhamos juntos, e tudo mais difícil quando nos separamos.

5 comandos Linux para monitorar o uso da CPU

Wireshark chega à versão 2.6

Wireshark chega à versão 2.6