in

Blender 2.83 LTS ganha suporte a VR

Veja esta e outras alterações no programa.

Blender 2.83 LTS ganha suporte a VR

Conforme já havia sido anunciado, o suporte de longo prazo chegou ao Blender com o lançamento da versão 2.83 LTS que também ganha suporte a VR. Isso significa que as equipes podem usá-lo por dois anos sem grandes preocupações de quebra ou mudanças no fluxo.

Esse sistema LTS já estava em discussão há algum tempo. E isso faz parte do objetivo do Blender de realmente se tornar o aplicativo de código-fonte gratuito e aberto para todos os tipos de criação em 3D, de jogos a filmes.

Com mais de 1250 correções de bugs e outras correções críticas a serem feitas ao longo dos próximos dois anos, como parte do programa Long Term Support, o Blender 2.83 LTS fornece o desempenho e a estabilidade necessários para grandes projetos. Novos recursos incluem suporte a VR, importação de OpenVDB, denoising de exibição OptiX e uma nova e poderosa escova de pano habilitada para física, diz o anúncio oficial do programa.

Blender 2.83 LTS ganha suporte a VR

Um dos novos recursos mais importantes desta estreia no LTS é a inclusão do suporte inicial a VR, desenvolvido com o OpenXR. Mais uma vez, este projeto tem um dedo da Collabora, que vem mexendo durante o tempo de execução do Monado Linux OpenXR, que eles mostraram executando o Blender VR.

Blender 2.83 LTS ganha suporte a VR

Entretanto, tem muita coisa nova no aplicativo. É o caso, por exemplo, do mecanismo de renderização em tempo real EEVEE. Da mesma forma, há avanços em relação à Render Passes, High Quality Normals, Hair Transparency e muito mais. Com vários aprimoramentos de desempenho em outros aspectos, o editor de vídeo ganhou novos recursos, como um cache de disco, uma ferramenta Blade, opacidade e visualização de áudio em tiras e muito mais.

Blender 2.83 LTS ganha suporte a VR

Veja as notas de versão completas aqui.

Além disso, a equipe do Blender está contratando. No momento, eles estão procurando um desenvolvedor de back-end. Veja a página de trabalhos aqui para obter mais informações.

Escrito por Claylson Martins

Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.