in

Brave se torna o primeiro navegador a adicionar suporte nativo para o protocolo IPFS

Usuários poderão acessar os links ipfs:// sem problemas.

Bug de privacidade no Brave expõe o histórico de navegação dos usuários na Dark Web

Com o lançamento do navegador Brave 1.19, ele se tornou o primeiro grande fabricante de navegadores a oferecer suporte ao IPFS, um protocolo ponto a ponto destinado a acessar conteúdo descentralizado ou censurado. Lançado em 2015, IPFS significa  InterPlanetary File System. É um protocolo ponto a ponto clássico semelhante ao BitTorrent. Assim, o Brave se torna o primeiro navegador a adicionar suporte nativo para o protocolo IPFS.

O IPFS permite que os usuários hospedem conteúdo distribuído por centenas ou milhares de sistemas. Podem ser gateways IPFS públicos ou nós IPFS privados. Os usuários que desejam acessar qualquer um desses conteúdos devem inserir uma URL na forma de  ipfs: // {content_hash_ID}.

Em circunstâncias normais, os usuários baixariam esse conteúdo dos nós (nodes) ou gateways mais próximos, em vez de um servidor central. No entanto, isso só funciona se os usuários instalaram um aplicativo de desktop IPFS ou uma extensão de navegador.

Assim, o Brave diz que com a versão 1.19, os usuários serão capazes de acessar URLs que começam com  ipfs://, diretamente do navegador, sem a necessidade de extensão, e que Brave suportará nativamente links ipfs:// daqui para frente.

Uma vez que alguns sites importantes como a Wikipedia têm versões IPFS, os usuários em países opressores agora podem usar o novo suporte IPFS do Brave para contornar firewalls nacionais e acessar conteúdo que pode ser bloqueado dentro de seu país por motivos políticos e está disponível via IPFS.

Além disso, Brave também diz que seus usuários podem instalar seu próprio nó IPFS com um clique na versão 1.19 e ajudar a contribuir para hospedar alguns dos conteúdos que baixam para visualizar.

Brave se torna o primeiro navegador a adicionar suporte nativo para o protocolo IPFS com aumento da privacidade

Brave se torna o primeiro navegador a adicionar suporte nativo para o protocolo IPFS

Estamos entusiasmados por ser o primeiro navegador a oferecer uma integração IPFS nativa com o lançamento de navegador de desktop Brave de hoje, disse Brian Bondy, CTO e co-fundador da Brave. A integração da rede de código aberto IPFS é um marco importante para tornar a Web mais transparente, descentralizada e resiliente.

Isso marca o segundo protocolo de navegação descentralizado que o Brave agora suporta. Isso depois de integrar a rede Tor e o protocolo Onion em junho de 2018 na forma de um recurso agora conhecido como “Tor Tabs“.

Porém, o Brave disse que o trabalho em sua integração IPFS também deve se expandir no futuro próximo.

O fabricante do navegador planeja oferecer:

  • suporte a redirecionamentos automáticos de sites DNSLink para suas versões nativas de IPFS;
  • capacidade de co-hospedar um site IPFS;
  • capacidade de publicar facilmente em IPFS e muito mais em versões futuras.

Porém, o suporte nativo de IPFS é apenas o mais recente em uma longa linha de recursos para privacidade que o Brave adicionou ao seu produto.

Os anteriores incluem:

  • suporte para um sistema de chat de vídeo privado;
  • um bloqueador de anúncios embutido;
  • randomização de impressão digital;
  • telemetria mínima;
  • filtragem de parâmetro de consulta;
  • bloqueio de mídia social e outros.

O Brave, que foi lançado em 2016 com grande alarde, atualmente tem cerca de 24 milhões de usuários ativos por mês, após  passar da marca dos 20 milhões em novembro passado.

ZDNet

gmail-adiciona-feedback-de-vibracao-aos-gestos-de-deslizar

Gmail agora permite redimensionar o bate-papo do Google na barra lateral da web

erro-no-android-11-atrapalha-jogadores

Erro no Android 11 atrapalha jogadores