Dicas

Como instalar o Syncthing, alternativa grátis para sincronizar arquivos

0
como-instalar-syncthing-debian-ubuntu-raspberry-pi

Se você está insatisfeito com serviços de nuvem que ajudam a sincronizar seus arquivos, que tal dar uma olhada no Syncthing?Syncthing é uma ferramenta de código aberto, gratuita e multiplataforma que pode ser usada para sincronizar arquivos e/ou pastas entre computadores em rede. Ele serve para para sincronizar informações com nossos diferentes dispositivos (desktop, laptop, tablet, smartphone. Aqui no Sempreupdate já abordamos sobre esta aplicação e como fazer a instalação em Ubuntu, Debian e derivados, além de RaspberryPi. Agora, veja como instalar o Syncthing, alternativa grátis para sincronizar arquivos, em outros sistemas.

Sobre o Syncthing

Como instalar o Syncthing, alternativa grátis para sincronizar arquivos

Ao contrário de outras ferramentas de sincronização, como Google Drive, pCloud e Dropbox,  o Syncthing transfere dados diretamente de um sistema para outro. Além disso, é completamente seguro e privado. Todos os dados serão armazenados em seu sistema. Dessa forma, você possa ter controle total sobre seus arquivos e pastas. Portanto, nada é armazenado em qualquer sistema de terceiros.

Também nos dá a possibilidade de escolher o local onde é armazenado, se é compartilhado com um terceiro e como é transmitido pela Internet.

Toda a comunicação é criptografada usando o TLS. O Syncthing tem uma WebGUI  poderosa que ajudará os usuários a adicionar, excluir e gerenciar diretórios a serem sincronizados pela rede. Portanto, o Syncthing oferece segurança e privacidade.

A segurança é garantida por criptografia e autenticação, já que não há servidor central que contenha tudo e possa ser violado.

Usando o Syncthing, você pode sincronizar várias pastas para vários sistemas ao mesmo tempo. Tudo o que você precisa é de uma conexão LAN/WAN estável e espaço em disco suficiente em seus sistemas.

É compatível com todos os sistemas operacionais, incluindo o GNU/Linux, Windows, Mac OS X e Android.

Como instalar o Syncthing no Linux?

Para instalar esta ferramenta em seu sistema, você deve seguir os seguintes passos, de acordo com sua distribuição Linux.

Malware foi encontrado em repositório do Arch Linux

Se você é um usuário do Arch Linux, Manjaro, Antergos ou qualquer distribuição derivada do Arch Linux.  É possível  instalar o aplicativo a partir dos repositórios oficiais.

sudo pacman -S syncthing

Caso você queira instalar a versão GTK, você deve digitar:

sudo pacman -S syncthing-gtk

Fedora 29 deve trazer grande quantidade de mudanças

Agora, para aqueles que são usuários do Fedora e derivados:

sudo dnf -i syncthing

Para aqueles que são usuários do Debian, Ubuntu, Linux Mint ou qualquer distribuição derivada deles. Primeiramente, devemos adicionar o seguinte repositório ao sistema.

Devemos abrir um terminal no sistema para isso e digitar:

curl -s https://syncthing.net/release-key.txt | sudo apt-key add –

echo “deb https://apt.syncthing.net/ syncthing stable” | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/syncthing.list

Uma vez que o repositório foi adicionado, devemos atualizar nossa lista de pacotes e instalar com:

sudo apt-get update
sudo apt-get install syncthing

Para usuários do, você pode instalar o aplicativo com um único clique na página do software openSUSE.

Basta ir ao seguinte link. 

Finalmente, para demais distribuições Linux, podemos instalar este aplicativo com o suporte dos pacotes Snap.

Devemos ter o suporte para instalar aplicativos desse tipo no sistema.

Nós apenas temos que digitar no terminal:

sudo snap install Syncthing

Como executar o Syncthing no sistema?

Para começar a usar este aplicativo, basta executar a partir do terminal:

syncthing

Então, feito isso, o navegador abrirá a página da Web de onde podemos configurar o aplicativo.

Caso isso não aconteça, basta abrirmos nosso navegador e, na barra de endereços, digitaremos:

localhost:8384

Fonte

Claylson
Jornalista com pós graduações em Economia, Jornalismo Digital e Radiodifusão.

Confira as novidades do LibreOffice 6.1

Previous article

Confira a nova versão de testes do KDE Neon

Next article

You may also like

Comments

Comments are closed.

More in Dicas